quarta-feira, 3 de junho de 2009

XXII FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DO PARÁ


O Partido dos Trabalhadores conseguiu mais uma vez provar que não tem nenhuma capacidade para lidar com eventos culturais. Lembrando o fracasso da falecida Bienal de Música de Belém na época do prefeito Edmilson Rodrigues, a pogramação do FIMP2009 mostra que esse partido sabe muito bem organizar greves, lidar com manifestações populares, mobilizar os trabalhadores para lutarem pelos seus direitos. Também são muito bons em se engalfinharem internamente para decidirem - no velho esquema de jogatina política e tráfico de influênicas da Sereníssima república veneziana - quem mandará e obedecerá dentro do partido. Mas lidar com arte especificamente e cultura geral não é o forte dos vermelhões. Tenho agora saudades da época de Paulo Chaves, quando o FIMP chegou a ter banners gigantes divulgando o Festival em plena BR316 e ao longo da Almirante Barroso com transmissão ao vivo pela TV Cultura. Não que eu seja fã de tucano: A grande deusa criadora de tudo que me livre desta sina. Para mim tucano é uma ave que deve ser extinta da política brasileira e, sobretudo, da paraense. Voltar à época de Almir Gabriel jamais, mas Simão Jatene é retornável desde que volte para o PMDB.
Mas voltando a questão principal desta postagem: a programação do Festival. Nunca antes na história deste festival se deu tanto espaço para a música popular e tanto desprezo para a música erudita! Um festival com cara de PT sim senhor!
Para mim isto não é nenhuma surpresa. Como professor efetivo da prefeitura de Belém e tendo passado oito anos sob governo petista, sei muito bem como aqueles vermelhões pensam cultura. A Bienal de Música de Belém foi um ótimo exemplo do populismo do partido do Lula. Tentáculos assassinos que nenhum respeito demonstram pela história do nosso Festival. Eu, sinceramente, estou me sentido traído: como músico, como público e como historiador do Festival. Vinte anos de um festival que só fez crescer e desenvolver a música de concerto em Belém e que tentou colocar a música no seu ambiente natural de apresentação - bares e casas de espetáculos - mas não conseguiu.
Toda a história das duas primeiras décadas do Festival provavelmente nem sequer foram levadas em consideração pelo atual governo. A falta de capacidade organizacional para um festival desse porte já se mostrou na XXI edição - a do ano passado - quando um festival inchado e com evidente fracasso de público e temáticas que quase não foram aplicadas na programação foi dada a nós, seu público.
Os petista conseguiram mais um crime: pela primeira vez em 22 anos o FIMP não será encerrado com a tradicional orquestra sinfônica do festival. Em seu lugar a Banda Sinfônica da Fundação Carlos Gomes. Só de olhar para a programação já se sabe o porquê disso: com metade do festival dominado por músicos populares é lógico que nenhuma orquestra poderia ser formada! Bons tempos aqueles de Glória Caputo e Paulo José Campos de Melo. Podem me chamar de preconceituoso ou discriminador, mas a Fundação Carlos Gomes não deve, em hipótese alguma, ser presidida por um músico popular. Senão nós paraenses deixaremos de ter um festival internacional de música para passarmos a ter um festival internacional de música popular do Pará. E este não é nem nunca foi, como todos sabemos, o objetivo principal do Festival, que nasceu erudito e camerístico, e depois se abriu para a música popular para ampliar os seus horizontes e eliminar fronteiras. Mas isto, ao que parece, não foi considerado pelos vermelhões. O que, evidentemente, importa para eles é dar a cara petista para um festival que quando eles assumiram o governo estadual já tinha cara própria.

PROGRAMAÇÃO XXII FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA

Dia 31 de Maio (Domingo)
10h - Bandas Centenárias do Pará (Interior do Estado) - Pré-Abertura do Festival – Praça Batista Campos
16h30 – Trio Manari - Praça Batista Campos
20h30 - Amazônia Jazz Band - Abertura Oficial do Festival – Theatro da Paz

Dia 01 de Junho (Segunda)
12 h - Grupo de Saxofones da FCG – Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h - Vencedor do Concurso Dóris Azevedo/2008 – Categoria Música de Câmara - Nível Superior - Thaina Souza(Soprano) e Nathália Kato (Piano) - Sala Ettore Bósio
16 h - Projeto Música e Cidadania: Grupo Ressoar –“Le_Festini” – Theatro da Paz
18 h - Duo Deno – Museu do Estado (Salão Transversal)
19 h – Orquestra de Choro Uirapuru – Teatro Waldemar Henrique
20h30 – Quinteto Brassil - Theatro da Paz
21h30 – Alcir Meireles Quarteto – Spazzio Verdi

Dia 02 de Junho (Terça)
12 h – Quartet Trio - Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h – Pedreira’s Quartet - Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)

16 h – Coral Itacy Silva - Theatro da Paz
18 h – Duo Carlos Gomes – Museu do Estado (Salão Transversal)
19 h – Grupo Clave da Lua - Teatro Waldemar Henrique
20h30 – David Duarte - Theatro da Paz
21h30 – Brazuca Jazz - Spazzio Verdi

Dia 03 de Junho (Quarta)
12 h –Grupo Metal Pará– Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
18 h –Núcleo de Música Antiga da EMUFPA– Museu do Estado (Salão Transversal)
20h30 – Tacap e Grupo de Percussão da FCG - Theatro da Paz
21h30 – Muiraquitã Jazz

Dia 04 de Junho (Quinta)
12 h – Tubas da Amazônia - Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h – Quarteto Maestoso - Sala Ettore Bósio(Instituto Carlos Gomes)
18 h – Coro Carlos Gomes– Museu do Estado (Salão Transversal)
20h30 –Nazaré Pereira- Theatro da Paz
21h30 –Maria Lídia - Spazzio Verdi

Dia 05 de Junho (Sexta)
12 h – Grupo Saxçaí - Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h – Projeto Música e Cidadania: Espetáculo “Somos Música” - Theatro da Paz
18 h –Madrigal da UEPA– Museu do Estado (Salão Transversal)
20h30 –Quinteto Persch - Theatro da Paz
21h30 –Olivar Barreto - Spazzio Verdi

Dia 06 de Junho (Sábado)
12 h – Quinteto de Metais da Fundação Carlos Gomes- Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h – Grupo Pará Trombones - Sala Ettore Bósio (Instituto Carlos Gomes)
16 h – Orquestra Brasileira de Belém - Theatro da Paz
18 h – Trio D’Ambrósio - Museu do Estado (Salão Transversal)
20h30 – Banda Sinfônica da Fundação Carlos Gomes - Theatro da Paz(Encerramento do Festival)
21h30 – Mundo Mambo - Spazzio Verdi


Nenhum comentário:

Postar um comentário