Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

Recital de Clarinete: Oficina de Jairo Wilkens

Imagem
Na tarde do dia 29 de julho de 2009 aconteceu o recital de encerramento da Oficina de Clarinete ministrada pelo clarinetista paraense Jairo Wilkens nas dependências do Arte Doce Hall, onde se encontra a sala de concertos Augusto Meira Filho, de propriedade da professora Glória Caputo.
Iniciado às 17 horas, o recital mostrou o quão avançado está o ensino do clarinete em Belém, sendo que futuramente - caso os jovens resolvam se profissionalizar - o Pará não terá dificuldades em contratar clarinetistas profissionais de talento e boa técnica musical.
O programa foi constituído por diversos compositores, desde do renascentista inglês Thomas Morley até o pós-romântico soviético Dmitri Kabalevsky, tendo o programa sido apresentado na seguinte ordem:

P. VICENT (1915-1987) Parable para Clarinete solo - Jairo Wilkens

W. A. MOZART (1756-1791) Baseado na Sonata em C, K.296: Allegro Vivace - Jairo Wilkens, João Marcos Matos

C. GERVAISE (Século XVI) Allemande - Jairo Wilkens, Silas Araújo

J. S. BACH (168…

OSTP ABRE TEMPORADA 2008

Nas noites de 24 e 25 de abril a Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz e seu regente
Mateus Araújo deram início à temporada 2008 da orquestra. Executaram Rossini, Mozart,
Ravel e Liszt com a participação de dois solistas convidados: o violista Marcelo Jaffé,
integrante do Quarteto da Cidade de São Paulo e a violinista Betina Stegman. Com um mês
de atraso, já que esperávamos a temporada ser iniciada em março como é de costume, o
concerto fez a première belenense da maioria das obras, com exceção da Sinfonia
Concertante para violino e viola de Mozart que já havia sido executada em Belém no
concerto de encerramento do 2º Festival Internacional de Música de Câmera do Pará em 28
de maio de 1989, também no Teatro da Paz, sob a regência do cubano Manuel Duchesne
Cuzán.
A OSTP mostrou amadurecimento e, sobretudo, entendimento das intenções
musicais de Mateus Araújo. Mateus vem crescendo muito como regente provando que é
regendo que se torna um verdadeiro regente; é Mateus é um dos bons. Mas bom mesmo prec…

ANÁLISE MUSICAL E ESTILÍSTICA DA SINFONIA EM D nº 31, K297 “PARIS” DE WOLFGANG MOZART

BIOGRAFIA:
O compositor austríaco Mozart nasceu em 27 de janeiro de 1756 em Salzburgo ao sul do império austríaco, mas a cidade há época era um estado papal semi-independente. O governante daqueles anos era o príncipe-arcebispo Siegmund von Schrattenbach era um homem liberal, culto e amante da música. Essa admiração pelas artes proporcionou à Salzburgo um movimentado calendário musical durante seu governo. O pai de Mozart, Leopold, era violinista, professor de música da corte do arcebispado, competente compositor e teórico musical de profundo conhecimento. Leopold casou-se com Anna Maria Pertl e com ela teve sete filhos, dos quais sobreviveram somente um casal, Wolfgang e Maria Anna, chamada em família de Nännerl.
O menino Mozart foi batizado com o nome de Joannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus Mozart, pré-nomes em latim seguindo o idioma oficial do catolicismo. Nascido filho de músico, em uma corte altamente musical e convivendo com a música constantemente, o caminho do menino na…

TRIO ELEONORE

O referido Trio apresentou-se no dia 11 de março, também pela série Concertos para Belém da Vale. Criado em Genebra em 1999 é formado pela pianista goiana Ivani Cardoso Venturieri, pela clarinetista israelense Anat Kolodny e pela ciellista sul coreana Mi-Kyung Kim. Considerando-se a raridade da formação é natural que não conheçamos nenhuma das obras apresentadas. E certamente a maioria do público também. Mas como as obras contêm dois dos mais graciosos instrumentos de orquestra (cello e clarinete) a música é de todo agradável. O Trio executou de Bruch: 4 peças Op. 83, de Joachim Stutschewsky: Hassidic Fantasy, de Paul Juon: Trio Miniatura Op. 18 (Rêverie, Humoreske, Elegie, Danse phantastique) e de Glinka: Trio Pathétique em Ré menor.
A maioria das músicas com grande melodismo e doçura. Bruch e Glinka são compositores românticos, portanto, esse melodismo apaixonado já é de se esperar neles. Porém os dois outros compositores não posso afirmar se suas melodiosas obras são naturais do rom…

QUARTETO BRAHMS

No dia 05 de março foi a vez do Quarteto Brahms se apresentar pela mesma série de concertos. Tocaram o Klavierquartett em Mi bemol maior op. 47 de Schumann e o Klavierquartett em dó menor op. 60 de seu patrono. Formado pelos músicos Noé Herói (violino), Julian Heichelbech (viola), Lisiane de los Santos (violoncelo) e Naila Alvarenga (piano). Formação internacional, posto que Noé é Belga de Bruxelas, Julien alemão e as duas moças brasileiras: Lisiane é de Porto Alegre e Naila é mineira.
Os quatro têm pouca idade: ainda estão na casa do vinte, mas tocam com a precisão técnica e o apuro interpretativo que ainda deixam as escolas musicais européias na vanguarda da formação musical deste planeta, excetuando-se Naila, que sendo pianista graduou-se na maior escola de piano do planeta, ou seja, o Brasil. Sim senhores, eu disse Brasil!
Nunca havia ouvido essas duas obras anteriormente. De Schumann já é meu velho conhecido o Quinteto para piano e vários peças para piano solo. Desse modo já tenho …

SÉRIE CONCERTOS PARA BELÉM

Desde o ano passado a Vale tem patrocinado uma nova série de concertos em nossa cidade denominada Concertos para Belém. Realização da Musikart Produções e com apoio do Ministério da Cultura e da Lei de Incentivo à Cultura. A nova série que é sempre apresentada no Arte Doce Hall de Glorinha Caputo tem trazido à Belém músicos residentes no exterior de várias nacionalidades, incluindo brasileiros, boa parte deles provenientes da Europa (sempre ela!). Contabilizando-se a eles os músicos paraenses residentes aqui mesmo em Belém. São músicos de carreira já em andamento – alguns já consagrados internacionalmente como os irmãos Assad – outros ainda em início de carreira como o nosso tenor-promessa Atalla Ayan.
Pois Atalla deu o primeiro dos três concertos da série a que assisti até o momento no Arte Doce Hall. Atalla que é tenor iniciante mais de muito boa voz deu um ótimo recital para quem está, ainda, em início de jornada, mas mostrou também que ainda necessita de amadurecimento na escolha …

LA BAYADÈRE NO TEATRO DA PAZ

O espetáculo apresentou o bailado de Ludwig Minkus pela Companhia de Dança Ballare, situada à TV.: Padre Eutíquio, próximo à Av. Conselheiro Furtado. O bailado teve sua estréia no Teatro Mariinsk de São Petersburgo no Império Russo em 1877. O mesmo, como indica o ingresso, previa o início às 20:00 hs, mas começou com meia-hora de atraso! Foi a primeira vez que o referido bailado subiu à cena paraense quase na íntegra. Quase, porque a cena em que Solor é consolado por um amigo e toma ópio, fazendo-o delirar, foi suprimida iniciando o 2º ato diretamente na cena das Baiadeiras Mortas, conseqüência do delírio de Solor.
A coreografia apresentada foi a original de Marius Petipa com revisão de Natalia Makarova, atualmente levada à cena, também, no Covent Garden de Londres. Os cenários e indumentárias respeitam a versão original, de modo que a nossa sensação foi de ter voltado no tempo, sentindo-nos na São Petersburgo imperial.
Quanto ao elenco, formado por professoras e alunas da Companhia B…

O FESTIVAL DE ÓPERA DO TEATRO DA PAZ

Recital Sanctus

Imagem
O Recital Sanctus, ocorrido na Capela do Colégio Santo Antônio em Belém, na noite de 26 de junho de 2009, foi mais uma realização do Coral Vozes da Amazônia, atual nome do Coro de Funcionários do Basa - Banco da Amazônia regido por Maria Antonia Jiménez. Formado somente por funcionários do referido banco - com a participação de convidados especiais, o coro está com nome constituição de membros, porém com número bem menor de participantes que da última vez que o vi se apresentar na Igreja de Santo Alexandre em 2006. Maria Antonia continua fazendo um trabalho hercúleo com eles, que não são músicos profissionais, nem mesmo cantores líricos de formação; porém auxiliada agora pelo tenor Tiago Costa, que está trabalhando como seu preparador vocal. Infelizmente, com a saída de vários membros o Coral teve queda na qualidade sonora e vocal. faltam barítonos e baixos, segundo Maria Antonia, problema brasileiro, já que estamos na terra dos tenores. O programa do concerto é típico de Maria Antoni…