domingo, 22 de agosto de 2010

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DA UEMG

O Grupo de Música Antiga da Universidade do Estado de Minas Gerais fez excelente e concorrida apresentação durante o XXI Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora na noite de 23 de julho de 2010 na Igreja do Rosário. Tocando repertório específico dentro da temática do Festival e com instrumentos de época especialmente confeccionados para o grupo por um de seus integrantes que é lutier, o grupo tocou vários autores anônimos dos séculos XIV e XVIII, além de alguns mineiros. Os padres José Maurício e Lobo de Mesquita foram os únicos autores identificados no programa. Para um Festival que tem temática totalmente fechada e direcionada, mas que se deixa direcionar muito em outras direções musicais, a apresentação de um grupo como esse é um dos poucos momentos verdadeiramente direcionados desse Festival, que peca demais por deixar o repertório estudado e executado alcançar do classicismo ao modernismo.


VÍDEOS:

Anônimo (Séc. XVIII) - Marcha dos Negros de Pamplona



Anonimo (Séc. XIV) - Il Trotto/Saltarello



Anônimo (PIRANGA - MG) - Melodia de Santa Maria


Anônimo (Séc. XVIII) - Seis motetos de Piranga

Judas Mercator - Pueri Hebraeourum - Amicus Meus - Deus, Deus Meus - Tenebrae Factae - In Monte Olivei



Anônimo (Piranga - MG) - Ó filhos, Ó filhas


Anônimo (Séc. XVIII) - Folias


Lobo de Mesquita (174?-1805) - Regnum Angelorum Domine - Venite Adoremus


Pe. José Maurício Nunes Garcia - Solfejos


Anônimo (Séc. XVIII) - Popule Meus

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Coro Sacra Vox: Juiz de Fora 2010

O Coro Sacra Vox preparada e regido pela maestrina Valéria Matos, apresentou-se dentro do 21º. Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga em julho de 2010 na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. Com um repertório bastante enxuto e muito bem direcionado, esse coro fluminense apresentou uma sonoridade limpa e vozes bem preparadas. Alguns integrantes do coro fazem-se, às vezes, de solistas, embora nem todos têm vozes solistas. A apresentação do Sacra Vox em Juiz de Fora, só me confirmou que um país do tamanho do Brasil necessita urgentemente ter integração entre todas as suas regiões e instituições que fazem alguma atividade artística, pois do contrário continuaremos como estamos agora. Nortistas não sabem o que os sulistas fazem. Nordestinos estão isolados do centro-oeste e quase nada se sabe do que é feito em música erudita em todos os estados brasileiros. Coros como o Carlos Gomes aqui de Belém do Pará e o Sacra Vox do Rio de Janeiro que têm altíssimo nível são grupos artísticos que precisam de mais divulgação em todo o Brasil. Eu próprio só conheci o Sacra Vox quando fui para Juiz de Fora, pois aqui em Belém nem sabia da existência dele. O que é uma pena, pois fazer música antiga não é para todo mundo nem todo mundo gosta de fazê-la. Por isso divulgar é preciso.

HISTÓRICO:

"Fundado em 1998 pela professora Vera Prodan, o CONJUNTO SACRA VOX é vinculado à Escola de Música e à Pro-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desde 2003 é dirigida pela regente Valéria Matos. Conta, em seu curriculo, com dezenas de apresentações em teatros, salas de concerto, Igrejase centros culturais no Rio de Janeiro. Integra séries musicais e festivais internacionais em vários estados brasileiros. Participou da gravação de CD da série Compositores Brasileiros pela Academia Brasileira de Música (ABM) e lançou, em 2006, o CD Música Coral Sacra Contemporânea Brasileira. O conjunto obteve sucesso de crítica. Em 2009, lançou seu segundo Cd 'Música Coral Sacra Brasileira nos XVIII e XIX". O principal objetivo do grupo é divulgar obras sacras de compositores brasileiros e estrangeiros do barroco ao contemporaneo e ampliar o interesse do público pela música erudita."

INTEGRANTES:

Direção
Valéria Matos

Preparação Vocal:
Felipe Habib

Pianista
Rafael Lima

Organista
Eduardo Antonello

Cantores
Sopranos:
Fabíola Carvalho
Laura Selles
Manuela Vieira
Vera Prodan

Mezzo sopranos:
Aline Rea
Lara Chaves

Tenores:
Leonardo Siqueira
Rafael Cherene
José Emanuel

Baixos:
Felipe Habib
Fernando Ytsejam
Gabriel Szanto
Patrick Oliveira


VÍDEOS:






Bruckner - Christus factus est pro nobis



Brahms: In Stiller Nacht


Mendelssohn: Richte mich Gott


Nunes Garcia: Missa de São Pedro de Alcântara

1. Kyrie:


2. Gloria


3. Laudamus te


4. Gratias agimus tibi


5. Domine Deus


6. Qui tollis peccata mundi


7. Qui sedes



8. Quonian tu solus Sanctus


9. Cum Sanctu spiritu


10. Johann Hermann Schein (1586-1630): Freue dich des Weibes deiner Jugend


sexta-feira, 6 de agosto de 2010

ORQUESTRA BARROCA GRAVA CD EM HOMENGEM A MUFFAT

Na 21ª edição do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora, Minas Geraos, Brasil a Orquestra Barroca do Festival dirigida novamente por Luiz Otávio Santos e contanto com um punhado de excelentes músicos dedicaram a gravação do CD deste ano, gravado ao vivo no Cine-Teatro Central (sempre ele!) ao pouco conhecido e divulgado - pelo menos no Brasil - compositor austríaco Georg Muffat. O repertório é cansativo para quem está acostumado com as barulheiras e agitos sentimentais do romantismo e da música popular atual. Mas a Orquestra Barroca dirigida por Santos foi primorosa em praticamente tudo: leitura das partituras, adequação dos instrumentos aos sons da época de Muffat, concentração total; inabalada até na hora que um espote de luz caiu no palco durante uma das execuções (conferir nos vídeos abaixo). Agora é esperar a prensagem do CD para relembrar esta magnífica execução quantos vezes quizer.

Georg Muffat (1653-1704) - Suite "Sperantis Gaudia", extraída de "Florilegium Primun"

Overture - Balet - Bourrée - Rondeau - Gavotte - Menuet I e II


Georg Muffat - Sonata II em sol menor, extraída de "Armonico Tributo"

Grave - Allegro - Grave - Allegro - Aria - Sarabande - Grave - Borea



Georg Muffat - Suite "Gratitudo", extraída de "Florilegium Primun"

Overture - Balet - Air - Bourrée - Gigue - Gavotte - Menuet

Coro Carlos Gomes na Semana de Arte 2019 da Nova Acrópole

    A maestrina cubana Maria Antonia Jiménez agradecendo  a participação do público no concerto do Coro Carlos Gomes      Entre ...