Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

Concurso para a EMBAP

A Escola de Música e Belas Artes do Paraná abriu concurso público para professor adjunto com titulação de Mestre e Doutor para preenchimento de vagas no seu quadro docente para as seguintes disciplinas:
Flauta-doce
Harmonia; Instrumentação e Orquestração; Prática de Harmonia e Arranjos Vocais.
História da Arte
Percepção Musical
Percussão
Piano
Piano Coletivo
Violão

Todas as informções sobre o processo podem ser obtidas no sítio da instituição: www.embap.pr.gov.br

Um canto para Maria 2010

Neste ano de 2010, o soprano paraense contou com o apoio de fortes nomes da área cultural paraense para realizar o seu concerto nazareno que já, praticamente, faz parte do calendário da Quadra Nazarena. Contou com a participação de alguns colegas cantores, coro e banda militar para realizar o evento; que alcançou a consagração sendo realizado no centro da devoção à Nossa Senhora de Nazaré, ou seja, a Basílica-santuário.          O repertório foi melhor selecionado que nos anos anteriores, só sendo estragado - momentaneamente - por um apagão na iluminação que deixou às escuras toda a nave da basílica, fazendo que nós ouvíssemos mas não víssemos os cantores, ou víssemos uns vultos penumbrosos cantando. Fora isto tudo mais correu dentro dos conformes.          Musicalmente, a voz de Patrícia avançou bastante tecnicamente, embora ela mantenha ainda, o hábito de acelerar os finais de frases. Mas sua voz está melhor construída, resultado de estudos de canto realizados na Itália nos ú…

Filarmônica do Espírito Santo, Juiz de Fora 2010

A Orquestra Filarmônica do Espírito Santo é mais uma orquestra pública brasileira que usa o termo errado para se nomear. Mantida pela Secretaria de Cultura do Espírito Santo, órgão público, portanto, deveria ser nomeada como orquestra sinfônica, pois este termo se aplica às orquestras públicas enquanto as filarmônicas são orquestras de instituições privadas, comumente associações filarmônicas; de onde vem a descrição para elas. Essa orquestra é muito boa, tendo um som excelente e uma execução muito agradável das obras apresentadas. Na minha opinião, a grande sensação da noite, foi o Concerto para Harpa e Orquestra de Radamés Gnatalli que já conhecia de gravação discográfica mas foi a primeira vez que ouvi ao vivo. Uma obra de grande beleza como esta e totalmente integrada à estética novecentista deveria ser executada mais frequentemente pelas orquestras brasileiras, embora os harpistas não sejam encontrados em todas as esquinas musicais como os pianistas. Encontrar grandes harpistas aí…

Orquestra Vale Música e a 5ª de Beethoven

Estava devendo esta postagem há alguns meses, portanto, agora sano o erro do atraso e, finalmente, coloco no ar estes dois vídeos da apresentação da 5ª Sinfonia de Beethoven na sede da Fundação Amazônica de Música. Dá pra ver os avanços técnicos dos integrantes da orquestra e parabenizar todos os profissionais da F.A.M. pelo excelente trabalho que estão fazendo e usá-los como exemplo de excelência na formação de grandes músicos eruditos paraenses. As duas escolas de música oficiais do estado devem mirar esses meninos e procurar qualificar melhor os seus alunos e incentivar os grupos musicais que fazem parte de seus corpos artísticos. A qualificação de futuros músicos profissionais passa - bastante - pela prática da execução musical. Uma apresentação de vez em quando não qualifica músico nenhum, sobretudo, na experiência com o público. Parabéns para Glória Caputo e sua equipe e para a Vale por patrocinar esse projeto maravilhoso.

Beethoven - 5ª Sinfonia: 1º - Allegro




Orquestra Pró-Música

Estes vídeso mostram alguns trechos da apresentação da pianista brasileira Maria Alice de Mendonça e da Orquestra Pró-Música de Juiz de Fora durante o último festival internacional de música realizado nessa cidade brasileira do estado de Minas Gerais, sempre nos meses de julho. A técnica apurada de Maria Alice foi usada para interpretar com vivacidade e brilho obras de Schumann e de Beethoven. Infelizmente só deu para gravar o primeiro movimento do Concerto para Piano nº. 4 de Beethoven. Alguns colegas meus do festival reclamaram da apresentação pois não a acharam satisfatória. Eu, por minha vez, a considerei acima da média e muito boa por sinal, sobretudo, as peças pianísticas tocada por Maria Alice; que evidentemente tocou com gosto os seus solos. Nelson Nilo Hack - que já passou a barreira dos 90 anos - é um regente experiente e sabe muito bem o que faz. Sua interpretação do concerto de Beethoven, se não é inovadora, pelo menos respeita a música do cabeludo compositor alemão e sabe…