ENCERRAMENTO DO FIMUPA 2010

Este vídeos mostra uma pequena parte do concerto de encerramento do Festival Internacional de Música do Pará de 2010. Pode parecer grandioso, mas foi, verdadeiramente, uma fajutice sem limites de um evento musical divisor de águas na história da música de concerto na capital paraense. Nem de longe, quanto mais de perto, essa edição do festival talvez nem seja merecedora da designação Internacional, pois músicos de outras nacionalidades foram coisa muito rara nessas quatro edições de governo petista de Ana Júlia Carepa.
Ao que parece, os músicos paraenses e brasileiros dominaram o cenário dos FIMPs petitas por conta da visão populista e popular dos vermelhinhos de que um festival internacional cheio de grandes músicos estrangeiros é "elitista"; e elitismo, como todos sabemos, é execrado pelos petistas mais radicais; daqueles que usam a bandeira do partido como vestuário.
Somando tudo e noves fora foi um dos piores festivais que nós podemos (ter o desprazer) de presenciar. Nem de longe, e de perto, lembrou a grandeza dos anos iniciais do festival em sua primeira fase na época de Glória Caputo, muito menos o ápice alcançado por ele durante a superintendência de Paulo José Campos de Melo e a direção técnica de Anamaria Peixoto. É claro que os governadores e secretários de cultura paraenses desde Jader Barbalho até Simão Jatene contribuíram muito para a grandeza desse Festival, mas a genialidade de Glória Caputo na capitação de recursos frente empresas privadas e a administração da credibilidade do festival feita por Campos de Melo também foram diferenciais.
No fim das contas, ficou provada a total incapacidade dos petistas de lidarem com eventos culturais e artísticos de qualquer porte, quase certeza pela maldita visão petista de elitismo e populismo artistico e cultural. Mas nesse ano o Festival teve um concerto de encerramento com a tradicional orquestra formada pelos músicos participantes; talvez sanando o erro monstruoso de 2009 quando a orquestra não foi formada.
Um Festival descaracterizado, desorganizado, descompromissado com sua história e um fracasso total de público; esse foi o Festival Internacional de Música do Pará de 2010. Um 23º ano de vida totalmente melancólico para aqueles, que como eu, tiveram o imenso prazer de acompanhar noites históricas nesse Festival.



Fotos:






Danças Polovitzianas - O Príncipe Igor - Borodin (excerto)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense