QUARTETO ÁGORA: UM RECITAL CALORENTO



             O Quarteto Ágora, da França, encerrou o primeiro semestre da série Concertos para Belém III na noite de 30 de junho de 2011 na Sala Augusto Meira Filho do Arte Doce Hall em Belém do Grão-Pará. Na ocasião, a 2º violino Sophie Kalch - doente - foi substituída por um violinista que se tornou o "bendito fruto" entre as mulheres que formam este conjunto camerístico.
        O conjunto parece ter uma outra Mulher Biônica (aquela da série de TV) com ouvido super privilegiado, pois reclamaram do barulho do ar condicionado da sala e solicitaram à administração da mesma que o aparelho fosse desligado durante todo o recital. A justificativa foram os finos tecidos musicais das obras apresentadas. Resultado, passamos calor durante toda a audição e, certamente, vários devem ter perdido a concentração na música devido ao altor teor de "calor musical" do momento.
           Musicalmente o grupo está muito bem entrosado e com técnica muito bem preparada. O som foi limpo, as leituras muito profundas em relação aos fraseados e à intensidade. O Quarteto de Debussy foi um destaque a parte, embora esse tipo de música não agrade aos troianos daqui, pois um dos meus colegas saiu da sala reclamando do quarteto debussyano, dizendo: "Debussy escreveu este quarteto para expulsar todos da sala de concertos". Bem, música francesa não é de agradar a gregos e troianos. Parece que vários ouvintes a consideram tão antipática quanto seus compatriotas. 
               Já que sou fã arriado do quarteto de Debussy passei toda a execução deleitando-me com essa obra deliciosa e de sonoridades bem variadas. As cores da partitura foram uma verdadeira "pintura musical".
Tirando o calor e o desconforto causado por ele, essas moças (e  o rapaz)  deram-nos uma noite bastante agradável.



INFORMAÇÕES DO PROGRAMA: 


QUARTETO ÁGORA
O Quarteto Ágora foi formado em setembro de 2007 em Paris, por musicistas graduadas no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, Royal College de Londres e na Escola Superior de Música de Genebra.
Receberam em 2008 a orientação de Walter Levine (do Quarteto Lasalle) e desde 2009 pertencem à classe regular em Paris, de um dos mais célebres quartetos de cordas da atualidade - Quarteto Ysaye.
O conjunto foi reconhecido no III Concurso Europeu de Música de Câmara Karlsruhe, Alemanha, como grande revelação nesta formação camerística. Já se apresentaram em inúmeros festivais na França e Inglaterra e em fevereiro de 2010
no Japão.  
Marie Salvat (1º. violino) graduou-se no Conservatório de Paris na classe de Patrice Fontanarosa e concluiu o Mestrado no Royal College of Music em Londres. Em 2007 como bolsista do Programa Erasmus estudou em Viena sob orientação de C. Altenburger. Foi detentora do 3° prêmio no Concurso Vatelot de Paris e atuou como solista com a Orquestra Sinfônica "Canet" e Orquestra de Câmera "Camérata de France".
Sophie Kalch (2° violino) iniciou seus estudos com Yvette Lafargue, prosseguindo-os com Jean Ter Merguerian no CRR de Marseille. Em Paris cursou também Musicologia na Sorbonne e aperfeiçoou-se com Alexandre Brussilowsky, Christophe Poiget e Florin Szigeti. Diplomou-se na Escola Superior de Música de Genebra na classe de J.P. Wallez (violino) e Gabor Takacs-Nagy (música de câmera). Integrou inúmeras orquestras na França e Suíça, com as quais viajou por toda a Europa e Ásia.
Marie·Noëlle Bernascon (viola) iniciou seus estudos aos quarto anos com Yvonne Blot em Paris. Em 1996 obteve o primeiro lugar no Concurso "Bellan" em Paris. Em 2003 foi admitida no Conservatório de Paris, onde estudou com Gérard Caussé e Laurent Vernet. Tem integrado a convite a Orquestra Nacional da Ópera de Paris e a Orquestra Prométhée.
Alice Picaud (cello) iniciou seus estudos de cello aos sete anos e logo em seguida também de piano. Em 2002 ingressou no "Conservatoire à Rayonnement Régional" em Paris, na classe de Xavier Gagnepain, tendo aí graduado-se em cello e música de câmera. Participou de inúmeros cursos com grandes artistas e regentes. Em 2006 entrou para o Royal College of Music de Londres, na classe de Thomas Carrol e Helêne Dautry. Em 2008 foi solista com a Orquestra Cachan em Paris. 



PROGRAMA:

Joseph Haydn (1732-1809)                           Quarteto de Cordas em sol menor Op. 74 nº 3 "O Cavaleiro"                                    
                                                                       Allegro
                                                                       Largo assai
                                                                       Menuetto: Allegro - Trio
                                                                       Finale: Allegro con brio


Claude Debussy (1862-1918)                        Quarteto de Cordas em sol menor Op. 10
                                                                       Animé et très décidé
                                                                       Assez vif et bien rythmé
                                                                       Andantino, doucement expressif
                                                                       Très modéré


Ludwig van Beethoven (1770-1827)              Quarteto de Cordas em mi bemol maior Op. 127
                                                                       Maestoso - Allegro
                                                                       Adagio, ma non troppo e molto cantabile
                                                                       Allegro


VÍDEOS:

JOSEPH HAYDN (1732-1809)  Quarteto de cordas em G menor OP. 74 nº. 3 "O Cavaleiro"

1º movimento: Allegro



2º movimento: Largo assai


3º movimento: Menuetto: Allegretto - Trio

4º movimento: Finale: Allegro con brio

CLAUDE DEBUSSY (1862-1918) Quarteto de cordas em G menor Op. 10

1º movimento: Animé et très décidé









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense