sábado, 26 de novembro de 2011

DUO PIANÍSTICO DA UFRJ

Estes são os textos para divulgação do recital do Duo Pianístico da Universidade Federal do Rio de Janeiro que apresentar-se-á na próxima quarta-feira, 30 de novembro de 2011, na Sala Augusto Meira Filho em Belém do Pará.


                              MARIA HELENA DE ANDRADE
           Nascida em Belém, diplomou-se em piano pelo Conservatório Carlos Gomes, na classe da professora Dóris Azevedo, onde fez parte do corpo docente do estabelecimento e foi diretora interina. Integrou o coral Ettore Bosio, participando de concertos sob a regência de João Bosco da Silva Castro, Waldemar Henrique e Nelson Nilo Hack, e o Duo Pianístico da UFPa, que atuou no Pará e em outros estados, participou da Rede Nacional da Música (FUNARTE) e publicou Bach- A Arte da Fuga e Beethoven- obra para piano a quatro mãos.
          Aperfeiçoou-se com Oriano de Almeida, Homero de Magalhães e Glória Maria da Fonseca Costa. Mestra em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde foi aluna de Jacques Klein e Heitor Alimonda, defendeu tese sobre Francisco Mignone, que escreveu uma suíte especialmente para o assunto de sua tese, que recebeu conceito máximo.
Como solista e camerista, exerce intensa atividade, apresentando-se, com sucesso, nas mais renomadas salas de concerto do país e no exterior.  Tocou diversas vezes em Paris, tomando parte nas comemorações oficiais do Ano Internacional Villa-Lobos e do Ano do Brasil na França, com palestra e recital na Sorbonne. Em suas "tournées" à Europa, apresentou-se em Londres (Saint Martin in the Fields), Amsterdam, Madri, Santiago de Compostela, Estocolmo, Cuenca, Vigo, Guadalajara, Zamora, Campo de Criptana, Almansa, Albacete e La Roda, algumas vezes como solista, outras, integrando o Duo Pianístico da UFRJ, que também realizou recitais nos Estados Unidos (Organização dos Estados Americanos e "Kennedy Center"), na Áustria, Suécia (Sala do Trono do Palácio Real de Estocolmo), França (Castelo de Brissac), México e Alemanha (Copa da Cultura).
          Apresentou-se sob a regência dos maestros Alceo Bocchino, Henrique Morelenbaum, Armando Prazeres e Roberto Duarte.
         Gravou diversos discos, que receberam elogiosas críticas das colunas especializadas, inclusive da revista "Piano International" (Londres), além de programas para rádio (incluindo a BBC) e televisão. Com a pianista Sonia Vieira, lançou os CDs Sarau de Sinhá e Brasil a 4 mãos. Integrando o Trio d’Ambrosio, realizou o projeto FRANCISCO MIGNONE: documentação e registro sonoro da obra de seu heterônimo CHICO BORORÓ, e apresentou-se em Belgrado, Madri e San Lorenzo de El Escorial. 
          Participou do júri de destacados concursos nacionais e internacionais, como o Concurso Internacional de Piano Pilar Bayona, em Saragoça, Espanha, e o XIII e XV Concursos Internacionais J. S. Bach, em Paris.
          Atuou na organização de eventos culturais como presidente da Associação dos ex-Professores da Escola de Música da UFRJ e Supervisora do Setor Artístico da mesma Escola, Diretora Artística do projeto “Ritmos Universais” (H. Stern), dos Seminários de Música Pro Arte e do Centro Cultural Francisco Mignone. Seu projeto “Do outro lado do Carnaval”, realizado, em 2005, no Centro Cultural Banco do Brasil, foi reapresentado, em fevereiro de 2006, na Sala Baden Powell onde, em julho de 2007, apresentou “Ritmos Pan-Americanos”, e na Academia Brasileira de Letras.
           Lecionou nas Universidades Federais do Rio de Janeiro e do Pará. Atualmente, é professora dos Seminários de Música Pro Arte.
          Recebeu inúmeros prêmios, medalhas e títulos.

                                        CRÍTICAS
      
         "Maria Helena de Andrade realiza com êxito a dionisíaca Festa no Sertão e à Valsa da Dor imprime a indispensável triste nostalgia. Todo o repertório brasileiro é interpretado com grande interesse e dificilmente poderia ser apresentado com mais autenticidade de estilo".
             Calum Mac Donald ("PIANO - Piano International ", Londres)
        "Sua execução transmite garra e inteligência musical".
             Luiz Paulo Horta ("Jornal do Brasil")
        "Uma das mais bem dotadas e notáveis pianistas brasileiras".
         "Sem forçar a nota poética, pode-se chamar de lirial a musicalidade que espargiu na série de composições que apresentou em seu festejadíssimo recital, tal a pureza e a autenticidade das intenções interpretativas que a guiam”.
             Eurico Nogueira França  ("Jornal do Commercio)
        “Uma das mais exímias pianistas brasileiras”.
         "Finura e elegância são os traços definidores da conduta instrumental que Maria Helena de Andrade vem mostrando em assíduas apresentações em palcos nacionais e estrangeiros".
             Carlos Dantas ("Tribuna da Imprensa")                                          
         "Com um estudo aprofundado sobre a obra de Mignone, a pianista Maria Helena de Andrade junta a seus títulos de aplaudida recitalista o de mestra em música pela UFRJ".
             Zito Baptista Filho ("O Globo")
        "Seu Mignone é revelador."
             Ronaldo César Cerqueira Leite (São Paulo)
          “Considero suas gravações da obra pianística do mestre carioca (Lorenzo Fernândez) das mais perfeitas, pela acuidade e sensibilidade.”
             Luis Robero Trench (O Dia, São Paulo)


Sonia Vieira

                A “Anita Garibaldi da Música Brasileira”, como é chamada pelo compositor Aylton Escobar pelo trabalho em prol da música de seu país, nasceu no Rio de Janeiro. Graduou-se em piano e órgão, e obteve o Mestrado em Música (piano) na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo em todas o conceito máximo. Vencedora de inúmeros concursos nacionais, o primeiro prêmio no VI Concurso Nacional de Piano do Rio, em 1965, possibilitou-lhe uma bolsa de estudos na Escola Superior de Música de Leipzig, Alemanha, onde aperfeiçoou-se durante dois anos com o Prof. Heinz Volger.

                Paralelamente à sua carreira de concertista, desenvolve ainda as atividades de revisora, camerista, acompanhadora, conferencista, pesquisadora (com dois livros: “Folia de Reis”, publicado pela UFRJ e “Guerra-Peixe, um músico brasileiro”, pela Lumiar Ed.), além de Professora. Exerceu também atividades administrativas: de Supervisora e Diretora do Setor Artístico-Cultural (por 3 vezes), a Vice-Diretora e Diretora da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é a Diretora do Instituto Grieg-Nepomuceno. Compõe o Duo Pianístico da UFRJ – o mais experiente do gênero no Brasil, que em 2011 completa 25 anos de existência.

                Atuou sob a regência de mais de vinte Maestros, em variados lugares, como solista de orquestras sinfônicas, de câmera e Bandas Sinfônicas. Compositores de destaque, como Ricardo Tacuchian, H. David Korenchendler, M. Helena Rosas Fernandes e o consagrado César Guerra-Peixe, dedicaram-lhe inúmeras obras e concertos, dos quais deu a primeira audição mundial. Guerra-Peixe ainda musicou sete poemas seus, dos quais “Sinto e Provo” foi publicado pela Editora Irmãos Vitale.

                Tem 6 CDs gravados, além de 22 discos de música brasileira, cinco dos quais foram considerados “Melhores do Ano”, pela Associação dos Produtores de Discos e pelos críticos musicais de “O Globo” e “Jornal do Brasil”.

É verbete da enciclopédia “The World Who’s Who of Women” de Cambridge, Inglaterra (1984), bem como destaque no livro de Mamoru Oxima sobre Música Brasileira, publicado em 1992 no Japão.

                Ocupa a cadeira de número 18 da Academia Brasileira de Música.

                Em 1998, participou do Congresso do Conselho Internacional de Música da UNESCO, em Aarhus, Dinamarca, como a única representante da América do Sul.

Em sua carreira solo, já se apresentou em prestigiosas salas de concerto, como nos Theatros Municipais (do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife), Bösendorfer Hall (Viena, Áustria), Carnegie Recital Hall e Waldorf Astoria (New York, EUA), El Ateneo (Barcelona). Apresentou-se ainda em outras cidades norte-americanas (Philadelphia, Washington e Miami). Saiu na revista LIFE, e foi entrevistada pela revista TEMAS, de New York. Nos EUA, destaca-se o sucesso do concerto de 26 de junho de 2003, ao ar livre na Copley Square (Boston) para mais de três mil pessoas, noticiado tanto no exterior quanto no Brasil. Tocou nas Américas Central e do Sul (México, Guatemala, Costa Rica e Venezuela), Europa (Paris, Londres, Roma, Madri, Sevilha, Barcelona, Alicante, Cuenca, Guadalajara, Campo de Criptana, Almansa e Albacete) e Oriente Médio (Israel). Concede, acompanhando suas tournées, entrevistas em rádios e televisões desses países.

Recentemente, deu recitais em sete cidades de Portugal, incluindo a capital Lisboa (Palácio da Foz). Apresentou-se também em Odivelas, e em seguida em Oslo, Noruega, na série do famoso Museu Wigeland.





                                         PROGRAMA




F. LISZT                     -  Cantata Festiva 


M. de Falla                - Dança Espanhola n° 1 ( de La vida breve) 
  
                                
S. RACHMANINOFF -  Seis Peças op.11
                                              Barcarola
                                              Scherzo
                                              Tema Russo
                                              Valsa
                                              Romance
                                              Eslava (Glória)
                                

Duo Pianístico da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)               
                                              
Pianistas: Maria Helena de Andrade e Sônia Maria Vieira


                                                                                               








 .

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

AGENDA DE CONCERTOS 21 A 29 DE NOVEMBRO DE 2011

     Esta é agenda de recitais e concertos a serem realizados em Santa Maria de Belém do Grão-Pará nesta reta final do mês de novembro de 2011.

Data                    Local                                  Hora                       Status

21/11                 Sala Augusto Meira
                          Filho - Arte Doce                 20:00                      Grátis
                          Hall
Evento: Concerto do Duo de Viola e Piano - Alexandre Rezera e Gabriella Affonso

22/11                 Teatro Maria Sylvia
                          Nunes - Estação das            20:00                      Sem indicação           3212-5525
                          Docas

Evento: Recital Lírico. Ligar para saber se é pago ou grátis.




23/11                 Igreja de Santo Alexandre      20:00                        Grátis    

Evento: Recital Operístico


24/11                 Igreja de Santo Alexandre       18:00                        Grátis

Evento: Árias e Canções


25/11                 Concerto dos Coro Carlos
                          Gomes e Coral Vozes   da     20:00                         Grátis
                          Amazônia

Evento: Concerto dos Coro Carlos Gomes e Coral Vozes da Amazônia


26,27 e 29/11     Teatro da Paz                       20:00                          Pago

Evento: Carmina Burana de Carl Orff em versão encenada por Maria Sylvia Nunes e Marton Maués.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

INTERPRETI VENEZIANI


    A Orquestra de Câmera italiana Interpreti Veneziani patrocinada pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal Brasileiro, apresentou-se na Sala Augusto Meira Filho em Belém do Grão-Pará na noite de 31 de outubro de 2011 em concerto memorável onde foram executadas obras de Vivaldi, Boccherini, Haendel e Paganini. 
      Como se vê o concerto, apesar da propaganda no convite não contou somente com música barroca, pois para os bons conhecedores de história da música, Paganini foi músico romântico e não barroco. Deixando de lado este pequeno erro histórico quem não foi e lotou a Sala Augusto Meira Filho perdeu um concerto de primeiríssima qualidade com músicos de tecnica sólida e leitura musical diferencial. Sim, pois fazia muito tempo que eu não ouvia o ciclo das Quatro Estações executado com tantas sutilezas de toque, e particularidades nas execuções, pois cada um dos concertos foi executado por um violinista diferente da orquestra.
       Os integrantes da orquestra formam um conjunto mesmo, bem ao molde da I Musici, a maior orquestra de câmera italiana da história, que deram início a prática dos próprios integrantes resolverem todos os pormenores musicais sem precisarem de um regente para isso. Conjunto coeso é assim: nada de individualidades acima do coletivo; as individualidades estão a serviço do coletivo e não o contrário. E os músicos da Interpreti Veneziani demonstraram isso com bastante destreza técnica, elegância na execução e diferencial nas interpretações da música barroca. Uma grande orquestra. Um grande momento da temporada de concertos 2011 em Santa Maria de Belém do Grão-Pará. 
        Os músicos da orquestra sabem usar a tecnologia ao seu favor e mantêm uma página dela na internet cujo endereço é este http://www.interpretiveneziani.com/index.php. Além das informações gerais, os Cds da orquestra podem ser adquiridos na própria página, mas a preços cotados em euros.

Integrantes:

violino: Sebastiano Maria Vianello, Guglielmo de Stasio, Pietro Talamini, Nicola Granillo, Federico Braga.
viola: Nazzareno Balduin
contrabaixo: Angelo Liziero
cravo: Paolo Cognolato

Texto do programa

Interpreti Veneziani

Um novo conjunto na cena musical italiana e internacional!

Foi assim que, em 1987, os Interpreti Veneziani fizeram sua estreia, conquistando prestigio imediatamente, devido à "exuberância jovem e ao brio tipicamente italiano que caracteriza suas apresentações".

O talento dos membros deste grupo, sua pro ciência como músicos solistas e de conjunto, e o alto nível de suas interpretações valeram aos Iterpreti Veneziani um entusiástico boas-vindas tanto do público quanto da crítica.

Suas importantes realizações incluem participação no Festival de Melbourne, no Festival de Bayreuth e em concerto o Palácio Real de Estocolmo; participação a telemaratona no Teatro Kirov que assinalou a volta do nome de São Petersburgo, um concerto na Sala Sinfônica de saka em transmissão ao vivo para a radio japonesa, concerto na Sala Suntory e na Sala Kjoi de Tóquio e apresentações em concertos sazonais como os de Sapporo e Yokohama ao longo de seis turnês ao Japão.

Os Interpreti Veneziani empreenderam repetidas turnês à Austrália e foram convidados varias vezes para as Américas (Bahamas, México, Venezuela, Guatemala, Colômbia). Em janeiro de 2007 fizeram sua primeira turnê aos Estados Unidos, onde continuam a se apresentar todos os anos.

As atividades de gravação dos Interpreti Veneziani incluem a produção de um primeiro CD com os editores musicais Musiktrasse com música de Giuseppe Tartini e 18 CDs gravados com Rivo Alto.

Nos últimos 24 anos, os Interpreti Veneziani apresentam cerca de 200 concertos sazonais na Igreja San Vidal, em Veneza.


Anonio Vivaldi                          As Quatro Estações

                                                 A Primavera Op. 8 nº. 1
                                                 violino: Federico Braga

                                                 - Allegro "Giunt'è la primavera"
                                                 - Largo "mormorio di fronde e piante - il caprano che dorme"
                                                 - Allegro "danza pastorale"


                                                  O  Verão Op. 8, nº. 2
                                                  violino: Sebastiano Maria Vianello

                                                  - Allegro non molto "languidezza per il caldo"
                                                  - Adagio "toglie alle membra lasse il suo riposo"
                                                  - Presto "tempo impetuoso d'estate"

                                                 
                                                  O Outono, Op. 8, nº. 3
                                                  violino: Pietro Talamini

                                                  - Allegro "ballo e canto de' villanelli"
                                                  - Adagio molto "dormienti ubriachi"
                                                  - Allegro "la caccia"


                                                   O Inverno, Op. 8, nº. 4
                                                   violino: Guglielmo de Stasio

                                                   - Allegro non molto "aggiacciato tremar tra nevi al genti"
                                                   - Largo "passar al foco i di questi..."
                                                   - Allegro "camminar sopra il ghiaccio"

INTERVALO


Luigi Bocherini                            "Fandango" para conjunto de cordas


Georg Friedrich Haendel             Concerto grosso para 2 violinos, violoncelo, cordas e cravo Op. 6 nº. 10
                                                  violino: Sebastiano Maria Vianello, Guglielmo de Stasio;
                                                  violoncelo: Nazzareno Balduin

                                                  - Ouverture - allegro
                                                  - Aria: lentamente
                                                  - Allegro
                                                  - Allegro


Niccolò Paganini                         "La Campanella" para violino e cordas
                                                   violino: Nicola Granillo