Peter Laul: um atleta do piano

           Após o recital de Anna Malikova, outro pianista de origem russa volta a se apresentar em Belém do Grão-Pará. Tratou-se do pianista de São Petersburgo Peter Laul que mostrou pela segunda vez à platéia belenense a força, vitalidade e virtuosismo da escola russa de piano, suplantada pela escola brasileira de piano nas últimas duas décadas no cenário internacional pelo fato de Yevgueni Kissin ser o único pianista russo de destaque internacional, tendo já anteriormente se apresentado algumas vezes na cidade de São Paulo mas, infelizmente, nunca em Belém.
        Pois para suprir essa ausência a Musikart Produções brindou-nos com essa espetacular apresentação desse espetacular pianista. Homem forte do piano, representante legítimo de uma das mais fortes tradições pianísticas do planeta, é também um homem de aço ao piano, lembrando Prokofiev quando tocava inabalável peças virtuosísticas e extramente cansativas fisicamente; o que explica o título deste ensaio.
          O recital inteiro foi dedicado ao piano romântico dos cabeludos Ludwig van Beethoven e Franz Liszt. Além do virtuosismo a força física do pianista foi um destaque. Tocou em quase duas horas 10 peças: talvez o recital de piano de maior duração deste ano. Nada que a maior parte do público tenha reclamado, pois contei somente três pessoas que se retiraram na altura das peças Wagner-Liszt. 
       Com um programa muito bem equilibrado musicalmente: Beethoven na primeira parte e Liszt ocupando toda a segunda, as forças musicais foram divididas para alcançar o equilíbrio, pois as sonatas Op. 10 nº 3 e Op. 57 de Beethoven são sonatas exigentes de dedos ágeis e fortes, enquanto Liszt, como sempre, requer um atleta do piano: o que Peter Laul é sem sombra de dúvida. Um recital gigantesco em todas as suas proporções. Parabéns à equipe da Musikart por mais esse extraordinário momento musical em Belém do Grão-Pará. 

Informações do programa:

"PETER LAUL - Piano
o pianista Peter Laul nasceu em uma família musical em São Petersburgo, na Rússia e iniciou a sua formação estudando com Alexander Sandler no Conservatório de São Petersburgo, onde posteriormente se tornou membro do corpo docente. Ele ganhou o terceiro prêmio e prêmio especial para o melhor desempenho na competição Bach Bremen em 1995 e novamente em 1997 quando ganhou o primeiro prêmio e prêmio especial para o melhor desempenho com a Sonata de Schubert, e primeiro prêmio na competição Scriabin em Moscou em 2000. Em 2003 foi premiado com a medalha de honra para realizações nas artes pelo Ministério da Cultura da Federação Russa.
Peter Laul atuou como solista na Orquestra Filarmônica de São Petersburgo, na Mariinsky
Theatre Orchestra, na Symphony Orchestra Moscow, na Moscow Estado Kapella Orchestra, bem como numerosas orquestras russas, sob a direção de maestros como Maxim Shostakovich, Valery Gergiev, Klas Eri, Jean-Claude Casadesus, e Nikolai Alekseev. Ele também se apresentou com a Filarmônica Nordwestdeutsche, a Dessau, Bremenhaven e Orquestras Oldenburg Teatro e 'Les siécles "sob François-Xavier Roth. A qualidade de suas performances o levaram para a Filarmônica de São Petersburgo Halls, o Moscow Conservatory Halls, o Moscow Tchaikovsky Hall e os novos Moscow International House of Music.
No exterior, já se apresentou no Auditorium du Louvre, o Théâtre de Ia Ville, Théâtre du Châtelet e do Musée d'Orsay, em Paris, Lincoln Center, em Nova York, o Concertgebouw de Amesterdão, a Vredenburg, em Utrecht, Die Glocke em Bremen, o Montpellier Corum, o Opera City Hall em Tóquio e em locais diversos e festivais em toda a Rússia, Europa, Japão e Estados Unidos. Suas atuações mais recentes foram na Serres d'Auteuil festival em Paris, o Festivais Schubertiade e Beethoven em Colmar, o Kamchatka Spring Festival, o Festival de Saint-Riquier, o Luxemburgo Philharmonic Hall, Le Théâtre de Ia Monnaie, em Bruxelas, o Lancut Festival da Primavera na Polônia e na Irlanda do Norte.
Entre seus parceiros de música de câmara incluem-se Dmitry Kouzov, Marc Coppey, Ilya Gringolts, Graf Mourja, Sergey Levitin, Francoise Groben, Gary Hoffmann, David Grimal, Laurent Korcia e Tedi Papavrami.
Peter Laul gravou para a Harmonia Mundi, Aeon, Querstand, Classics Integral, King Records, Flores do Norte, Querstand e estações de rádio e televisão numerosos na Rússia e no exterior."   

PROGRAMA:

Ludwig van Beethoven

             Sonata em ré maior Op. 10 nº. 3
                   Presto
                   Largo e mesto
                   Menuetto: Allegro
                   Rondo: Allegro

            Sonata em fá menor Op. 57
                  Allegro assai
                  Andante con moto
                  Allegro ma non troppo - Presto

Intervalo

Schubert/Liszt               

              Aufenthalt
              Staendchen
              Soirees de Vienne Valse Caprice nº. 6

Wagner/Liszt
       
               
           
VÍDEOS:

Beethoven (1770-1827)

Sonata para piano em D, Op. 10 nº. 3
Movimentos: 1) Presto  2) Largo e mesto  3) Menuetto: Allegro  4) Rondo: Allegro

 



Sonata em F, Op. 57
Movimentos: 1) Allegro assai  2) Andante con moto  3) Allegro ma non troppo - Presto



Intervalo

Schubert/Liszt

Aufenthalt



Staendchen



Soirees de Vienne Caprice nº. 6




Wagner/Liszt

Spinnenlied (da ópera Der Fliegende Holländer)




Elsas Brautzug (da ópera Lohengrin)



Einzug der Gaeste (da ópera Tannhäuser)




Franz Liszt

Valse Oubliée nº. 1

Mephisto Walzer nº. 1



Bis:

1. Chopin: Valsa em C# menor, Op. 64 nº. 2 - Tempo giusto


2. Chopin: Valsa em Db maior, Op. 64 nº. 1 - Molto vivace














Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense