Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

OSTP: série de câmera

A Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz realizou na noite de 21 de março de 2012 no Museu de Arte Sacra do Pará o primeiro concerto de sua Série de Câmara na temporada deste ano.  A noite foi em homenagem aos 327 anos de nascimento de Johann Sebastian Bach. ocorrido em 31 de março de 1685 na cidade de Eisenach na Turíngia, atualmente dentro da República Federal da Alemanha. Além de Bach, Shostakovich e Kalie Fares Akel, esse último paraense, figuraram no programa. Essa apresentação foi assistida ´pela já costumeiro pequeníssimo público que muitas vezes nem chega a lotar a platéia na sala de concertos do Museu; o que não ocorreu dessa vez. Quem foi assistiu um recital bem mais fogoso que o anterior dado no Teatro da \Paz. Só de ouvir o barroco Bach em uma igreja barroca dá uma dimensão toda especial para o momento. Infelizmente um rapaz que se identificou como membro da diretoria de música da orquestra me impediu de fazer a filmagem do evento, deixando claro que o procedimento não é ac…

Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz: Ciclo Beethoven 2012

Imagem
A Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz regida pelo paraense Miguel Campos Neto continuou sua temporada 2012 na noite de 15 de março com uma integral dedicada a Beethoven. Essa integral está dentro de um novo Ciclo Beethoven promovido pelos tucanos paraenses: para lembrar o primeiro ciclo dedicado ao compositor alemão foi a integral de suas sinfonias na época de Mateus Araújo como titular da OSTP. Gilberto Chaves era o diretor do teatro na época e hoje é o seu diretor artístico, estando o teatro atualmente sob a direção de Ana Cláudia Moraes e a Gerência de Música sob a tutela do tenor paraense João Augusto Ó de Almeida.      Impressionante, para mim, é notar essa obsessão tucana com Beethoven. Tudo bem, ele é um incontestável gênio da música e merece qualquer ciclo de concertos que queiram lhe homenagear: certamente o público não reclama, haja vista que lotou o Teatro da Paz nessa noite; mas parece-me que os ardorosos fãs de Beethoven que agora voltam ao governo paraense esquecem q…