LEO BROWER EM BELÉM DO GRÃO-PARÁ


     O Festival Internacional de Música do Pará finalmente voltou aos eixos na edição de 2012; ano comemorativo de seu jubileu de prata. 25 anos de festival e quase duas décadas de crescentes nas programações. Músicos de renome internacional se apresentaram nele diversas vezes. Compositores de destaque como Ernani Aguiar vieram pessoalmente para Belém e nele se apresentaram.
    Outro destaque importante foram alguns grupos musicais que acabaram se tornando residentes do festival ao longo dos anos como o Valerius Ensemble, o Quarteto Esterhazy e o Quinteto da Paraiba. Sempre trabalhando para dar o melhor da música internacional ao público paraense, Glória Caputo e Paulo José Campos de Melo - os dois primeiros superintendentes da Fundação Carlos Gomes, criadora e administradora do festival, puseram em prática duas décadas de grandes momentos musicais na capital paraense. 
   Mas uma nuvem negra pousou sobre o festival durante o governo de Ana Júlia Carepa e as ideologias petistas fizeram nosso festival ser totalmente descaracterizado. Resultado: esvaziamento de público! Ficou claro para todos que a maioria de nós que acompanhávamos o festival desde sua criação nao estávamos contentes com os rumos que o festival tomou e a sua evidente descaracterização.
    Mas heis que nesta edição de prata as coisas voltaram aos trilhos; e em grande estilo. Um dos momentos históricos do festival aconteceu na noite de 09 de junho quando um dos músicos americanos de maior destaque no planeta se apresentou no Teatro da Paz. Ninguém menos que Leo Brower. O compositor cubano que nomeia o Festival Internacional de Violão desde 2008 na cidade de São Paulo e o Festival de Música de Câmara Leo Brower na capital de seu país natal, Cuba.
    Teatro da Paz lotado, apesar da chuva, ouvimos três obra de Leo e uma do paranaense Henrique de Curitiba. O momento também foi histórico também, pois pela primeira vez veio a Belém a Orquestra de Câmara Solistas de Londrina, Nessa orquestra estão vários integrantes da desfeita Orquestra de Câmera do Pará e alguns dos músicos criadores do Festival Internacional de Música de Câmera do Pará. Portanto, um retorno feliz de músicos que ajudaram a construir o nosso festival e que fizeram história no Pará com uma orquestra que nunca deveria ter sido desfeita, chegando a ser considerada uma das melhores orquestras de câmera do Brasil.
     
Informações do programa:

"Leo Brower


     Membro de Honra da UNESCO, do Instituto Italo-Latinoamericano, da Academia de Belas Artes de Granada e Compositor Residente da Academia de Artes e Ciências de Berlim, entre outras nomeações em prestigiosas instituições internacionais.
     Compositor, regente, violonista, pesquisador, pedagogo e promotor cultural, Brouwer figura entre os mais reconhecidos músicos da atualidade. Foi pioneiro na direção dos primeiros departamentos de música do ICAIC (Instituto  Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica) em 1960, do Teatro Musical de Havana (1962) e na fundação e direção do Grupo de Experimentação Sonora do ICAIC (1968). Participou de comissões julgadoras em numerosos concursos de violão, composição e de direção orquestral. Já regeu mais de cem orquestras e grupos de câmara em todo o mundo, com especial destaque para a Filarmônica de Berlim, Orquestra de Câmara da BBC e a Orquestra Nacional do México. Foi regente titular da Orquestra de Córdoba, Espanha (1992-2001)    e diretor geral da Orquestra Sinfônica Nacional de Cuba (1981-2003).
     Sua obra, que ultrapassa trezentos títulos, abrange quase todos os gêneros e formas musicais, e sua discografia apresenta mais de seiscentas gravações. Leo Brouwer possui mais de duzentas distinções artísticas e acadêmicas internacionais, como o "Prêmio Manuel de Falla" (1998, Espanha), o "Prêmio Nacional de Música de Cuba" (1999), o "Prêmio MIDEM Clássico", (2003, Cannes) - na categoria solo-orquestra com seu Concerto de Helsinki para violão e orquestra - o "Prêmio Goffredo Petrassi de Composição" (2008, Itália), o Latin American Music Award SGAE Tomas Luis de Victoria (2010, Espanha) e o Grammy Latino (2010). Vários grupos e festivais levam seu nome: Brouwer Guitar Quartet (EUA), B3: Brouwer Trio de Valência, Espanha e Juventude Philharmonic Leo Brower. Desde 2008 nomeia oficialmente o Festival Internacional de Violão em São Paulo, e o Festival de Música de Câmara Leo Brouwer (Cuba). Atualmente preside o Instituto Leo Brouwer com sede em Havan. Possui títulos de "Doutor Honoris Causa".

Orquestra de Câmara "Solistas de Londrina"

    Fundada no ano de 1998 com o propósito de divulgar a música de câmara erudita. Na temporada de 2000 se estabeleceu como importante núcleo cultural no Estado do Paraná. Realizou concertos com solistas internacionais como o violoncelista Antonio Lauro del Claro, o violinista Fábio Zanon, os violinistas Eva Szekely, Evgenia-Maria Popova, Alessandro Bogomanero, o oboesta Bojin Nedelman e o violista Jairo Chaves. Em 2001, a orquestra gravou seu primeiro CD, o "Imagens Brasileiras".
    Em 2001 participou no 12º Festival de Música Antiga de Juiz de Fora, do Festival de Inverno de Ouro Preto e do Festival de Música de Tiradentes. Considerado a excelente interpretação da Sonata para Cordas de Carlos Gomes, gravado no CD "Imagens Brasileiras", a Orquestra foi escolhida para participar do Projeto Família Imperial - Álbum de Retratos, desenvolvido pelo Arquivo Histórico do Museu Imperial. Com a série Concertos Paraná a Orquestra realizou um circuito de apresentações em cidades do Paraná, firmando-se como um dos mais interessantes e ativos projetos propostos para a música erudita do estado.

Quaternaglia

    O grupo tem sido aclamado como um dos mais importantes quartetos de violões da atualidade, tanto pelo alto nível de seu trabalho camerístico quanto por sua importante contribuição para a ampliação do repertório. Em seus vinte anos de atuação, vem estabelecendo um cânone de obras originais e arranjos audaciosos, o que inclui a colaboração com compositores brasileiros de diversas gerações como Egberto Gismonti, Almeida Prado, Paulo Bellinati e Sérgio Molina, além do cubano Leo Brouwer.
  Sua atuação começou a despertar o interesse da crítica internacional após a obtenção do 'Ensemble Prize' no "Concurso Internacional de Violão de Havana" (Cuba) e da participação em importantes séries de violão e música de câmara dos Estados Unidos.
     Em 2012 o quarteto comemora 20 anos de carreira atuando frente a diferentes orquestras brasileiras, e o concerto desta noite celebra a data no XXV Festival de Música do Pará. 'Gismontiana', concerto para quatro violões e orquestra, é uma homenagem ao Brasil e a um de seus grandes músicos, Egberto Gismonti. Escrita pelo maestro e violonista cubano Leo Brouwer - que irá dirigir pessoalmente a apresentação -, a obra marca a interação entre Brouwer, Gismonti e Quaternaglia neste templo da cultura brasileira que é o Teatro da Paz.



Henrique de Curitiba: Evocação das Montanhas (1978) poema sonoro


video

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense