Quarteto Esterhazy: o retorno ao FIMUPA

     Após vários anos de ausência o Quarteto Esterhazy voltou a figurar na programação do Festival Internacional de Música do Pará. Importantíssima presença, o quarteto estadunidense, agora em nova formação, tem importância histórica no FIMUPA pois é um dos quartetos fundadores do festival, tendo participado anos consecutivos desde sua criação em 1988. 
    A violinista Eva Szekely acabou criando um forte vínculo com Belém e uma duradoura amizade com Glória Caputo, criadora do festival, sendo constantemente vista na capital paraense nos últimos anos mesmo não trabalhando no FIMUPA e nem fazendo nenhuma apresentação; mas sua presença em Belém do Grão-Pará já denota o apreço que ela criou pela Cidade das Mangueiras.
     A apresentação no Teatro da Paz não ficou lotado; o que achei estranho pois em outros momentos históricos do FIMUPA as apresentações de câmera - eixo principal do festival - levaram muito mais gente ao teatro, mas a programação com vários concertos e recitais programados para o mesmo horário a noite deve ter dividido bastante o público. Ruim para quem não foi. Perdeu um grupo instrumental cujos integrantes são afinadíssimos, tanto na música quanto na integração como músicos cameristas. Ou seja, todos os quatros tem alta musicalidade e uma leitura uniforme das obras apresentadas, fundamental para qualquer grupo de câmera. 
     A conjunção dos sons das quatros partes foi tão sintonizadas que em alguns momentos fechei os olhos e parecia estar ouvindo um só músico tocando. 
     Todos os três quartetos executados são belíssimos e o programa foi bem organizado deixando os modernos Villa-Lobos e Ives na primeira parte e isolando o Dissonante de Mozart na segunda. Assim a sonoridade clássica de Wolfgang não destoou das modernidades novecentistas do compositor brasileiro e do estadunidense. Certamente um grande recital.

Informações do Programa:

"Desde 1968, o Quarteto Esterhazy, formado na Universidade de Missouri, tem cumprido uma missao dupla: executar o repertório de quarteto de cordas e promover essa formação para o público dos EUA bem como ao público internacional.
 O grupo tem sido historicamente um forte catalisador na criação e execução de novas obras para quarteto de cordas, especialmente de compositores das Américas do Norte e Sul. As atividades nesta área incluiram performances mundiais com vários primeiras audições e gravações (incluindo peças de Roberto Escobar, Barry James, Headrick Samuel, Horvit Michael, Vanneschi Luca e Willey James), colaborando com os compositores na preparação de partituras para execução e gravação, promovendo oficinas com jovens compositores, incluindo uma residência anual na Berklee School of Music em Boston.
 Por mais de quatro décadas, o público gostou da cordialidade e elegância que o Quarteto Esterhazy exibiu aos mais exigentes. Críticos elogiaram o Quarteto pelo requinte, inteligência e tons aveludados.
 O Esterhazy mantém uma agenda de shows ativa nas Américas e na Europa, incluindo apresentações para o Mozarteum em Buenos Aires, a Sociedade de Beethoven, em Santiago do Chile, o Festspiele Haydn na Áustria e no Banff Centre for the Arts, no Canadá. Eles foram apresentados repetidamente em transmissões de rádio nacionais públicas como o aclamado "Hear America First", a série "Quartessence", e tem aparecido como artistas convidados em festivais, incluindo o Arts Festival, o Festival de Música do Texas e do Festival Internacional de Música do Pará, no Brasil. Suas gravações podem ser ouvidas nos rótulos CRI, Spectrum e Albany Records. Seu CD mais recente de quatro quartetos de cordas de James Willey foi emitida pela Albany Records, em Fevereiro de 2011.

"A concepção gradiosa foi apresentada com completa dignidade... triunfante sucesso. 'La Nación, Buenos Aires'"

"O Quarteto Esterhazy interpretou Haydn de maneira sensível(...). Foi uma grande performance!" Jornal Diário, Caracas

"A música é cheia de humor e sofisticação. Os artistas envolvidos são sensíveis. Uma gravação memorável". Repertório Compactos des Disques, França

Programa: (sem alterações)

Heitor Villa-Lobos     Quarteto de Cordas nº. 01

Cantilena
Brincadeira
Canto Lírico
Cançoneta
Melancolia
Saltando como um Saci

Charles Ives                Quarteto de Cordas nº. 01

Andante con moto
Allegro
Adagio cantabile
Allegro marziale

Intervalo


W. A. Mozart               Quarteto em C maior KV 456 (Quarteto das dissonâncias)

Adagio-Allegro
Andante cantabile
Menuetto
Allegro molto


Eva Szekely - violino
Susan Jensen - violino
Leslie Perna - viola
Darry Dolezal - cello

Vídeos:

Mozart: Quarteto de cordas em C maior KV 456 "Das Dissonâncias"

1º movimento:  Adagio-Allegro

video

2º movimento:  Andante Cantabile


video

3º movimeno: Menuetto

video

4ºmovimento: Allegro molto


video

Bis:

video


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense