sábado, 27 de outubro de 2012

Paolo Bonomini e Kirilo Zvyegintsov: piano e violoncelo

O duo camerístico formado pelos jovens Paolo Bonomini (cello) e Kirilo Zvyegintsov (piano) apresentaram-se em Belém do Grão-Pará na noite de 25 de outubro de 2012 trazidos à capital paraense pelo Fundação Amazônica de Música para mais uma noitada musical da sua temporada 2012 que até o presente só contou com grandes momentos musicais.
Jovens, mas com formação musical sólida, não se intimidaram perante as  exigências digitais dos três compositores incluídos no programa: Mendelssohn, Piatti e César Franck, todos artistas do romantismo musical novecentistas, o que deu à noite uma carga extra de emotividade e lirismo próprios desse estilo musical.
O programa foi muito bem organizado, começando com o baixo romantismo de Mendelssohn e terminando com o alto romantismo de Franck tento Piatti no meio com duas peças curtas e encantadores servindo de intermezzo para as duas grandes sonatas contidas no programa. 
A sonata de Franck, que os melômanos devem conhecer na sua versão violinística encerrou com chave de ouro, que iniciou com quase meia hora de atraso, mas que foi compensada com execuções competentes desses dois promissores artistas.



Informações do programa:

Paolo Bonomini

"Paolo Bonomini nasceu em 1989 e iniciou seus estudos com Perucchetti no Conservatorio 'L. Marenzio' em Brescia, onde obteve o diploma de bacharel com louvor.
Foi premiado em varios concursos, a citar: Concurso Nacional Art Awards Romanini, Concurso Nacional Vittorio Veneto e Menção Honrosa no National Art Awards 2006. Venceu o Concurso Solistas 2009 entre os melhores estudantes das escolas suíças. 
Por cinco vezes recebeu o diploma de merito da Accademia Musicale Chigiana com Antonio Meneses.
Foi agraciado com a bolsa Mario Brunello no período de 2005 a 2010 da Fondazione Romano Romanini Academia de Brescia e da Castelfranco Veneto.
Em junho de 2010 recebeu o Diploma de Concertista na Escola Superior de Arte de Berna na classe do violoncelista Antonio Meneses, com quem também concluiu o mestrado em 2012. Foi o vencedor do prêmio "Tschumi" pelo melhor concerto executado.
Paolo Bonomini colabora com a orquestra de câmara Orchestra d'archi italiana, sob a direção de Mario Brunello e com a orquestra "I solisti di Pavia", dirigida por Enrico Dindo. Integra ainda a "Orchestra Giovanile Luigi Cherubini" conduzida por Riccardo Muti além de ter se apresentado sob a regência dos maestros Claudio Abbado, Alexander Lonquich, Zsolt Nagy, Benjamin Schmid e John Axelrod.
Como solista tem se apresentado em importantes festivais, com importantes grupos de câmara e ao lado de renomados músicos como: Salvatore Accardo, Bruno Giuranna, Antonio Meneses, Sonig Tchkarian, Danilo Rossi, Virtuosi di Praga, Odessa Orquestra de Câmera e Camerata Bern.
Apresentou-se ao vivo na Rádio Rai 3 no Concerti di Palazzo Venezia.

Kirilo Zvyegintsov

Natural da Ucrânia, Kirilo Zvyegintsov, nasceu em 1983 e iniciou seus estudos de piano aos seis anos de idade sob orientação de Boris Archimowitsch na Academia de Música Tschaikowsky em Kiev.
De 2005 a 2008 esteve sob orientação de Tomasz Herbut na Escola Superior de Música em Berna, onde concluiu em 2011 o Mestrado em Performance com nota máxima e distinção. Atualmente prossegue seus estudos na Escola Superior de Música de Basel, onde dedica-se à música contemporânea.
Kirilo Zvyegintsov participa frequentemente de master classes com renomados pianistas dentre eles, Dimitri Bashkirov e Robert Levin.
Premiado em vários concursos, a citar 6º Concurso Internacional J. S. Bach em Würzburg e o "Virtuoses do Futuro" em Crans-Montana.
Desde 1999, tem-se apresentado em recitais como solista, camerista e concertos com orquestra em vários países da Europa, além de inúmeros festivais.



Vídeos:

Mendelssohn: Sonata para violoncelo n. 1

Allegro vivace

video

Andante

video

Allegro assai

video

Carlo Alfredo Piatti: Tarantela para violoncelo e piano Op. 23

video

Carlo Alfredo Piatti: Seranata para violoncelo e piano Op. 12

video



sábado, 13 de outubro de 2012

AUTO DO CÍRIO 2012: A MAIORIDADE

  O Auto do Círio 2012 completou 18 anos de tradição dentro da quadra nazarena e sempre realizado na sexta-feita antes do Círio de Nazaré em Belém do Grão-Pará, neste ano levando uma multidão para as ruas do bairro Cidade Velha na capital paraense. Eu participei por vários anos do Auto na década de 1990, sendo que minha última participação foi em 2000, ano que me formei na Escola de Teatro e Dança da UFPA e naquela época o percurso era diferente do atual. Da segunda estação na frente do Museu de Arte Sacra do Pará, íamos para a terceira estação na frente da Igreja de São João para alcançarmos o vão entre o Palácio Antônio Lemos e o Palácio Lauro Sodré; onde acontecia a apoteose. Já há alguns anos o percusso vai do Museu de Arte Sacra diretamente para a apoteose passando ao lado da Praça D. Pedro II onde acontece, agora, a terceira estação, encurtando assim o trajeto que neste ano durou cerca de 3,5 horas para chegar ao fim. Mas como é de costume o samba (a arte da apoteose) dura um pouco mais depois da elevação da imagem da Virgem aos céus.

   Para aqueles que não são belenenses devem se perguntar por que uma festa em homenagem à Virgem termina em samba. O Auto do Círio é uma festa profana em homenagem à padroeira dos paraenses onde as artes são o mote para homenageá-la. Miguel Santa Brígida é um dos criadores do auto e carnavalesco com vasta experiência; daí para colocar samba no encerramento do auto foi só um pulo. Dominguinhos do Estácia, devoto de Nossa Senhora de Nazaré, mas que é fluminense, cantou novamente na apoteose o já tradicional samba enredo composto especialmente para o Auto do Círio. 
  Neste ano alguns artistas famosos (outra tradição) participaram como a cantora popular paraense Lia Sofia que arrastou a multidão em cima de um trio elétrico.
   Pelas imagens que capitei da apoteose dá-se para ter uma idéia de quantas pessoas descem para o bairro da Cidade Velha para acompanhar este que é um dos momentos mais festivos da programação profano do quadra nazarena.
   
video


video


video


video


   

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Um canto para Maria 2012

      A 12ª edição de Um Canto para Maria, o já tradicional concerto em honra a Nossa Senhora de Nazaré do soprano paraense Patrícia Oliveira, aconteceu na noite de 10 de outubro de 2012 na Basília-Santuário de Nazaré em Belém do Grão-Pará. Com a participação de Paulo José Campos de Melo (piano e órgão), o Madrigal da UEPA regido por Jonas Arraes, do tenor Alexsandro Brito e do cantor e compositor Alcyr Guimarães, todos paraenses, o concerto ocorreu dentro da quadra nazarena como um dos eventos principais da programação paralela ao Círio de Nazaré, ou seja, aquela que acontece simultaneamente as romarias e que tomam de assalto toda a capital paraense no sagrado período nazareno no mês de outubro.
    As novidades desse ano foram a transmissão ao vivo pela TV Nazaré do concerto e de Paulo José tocando o órgão da Basílica-Santuário restaurado em 2011; dando assim um peso maior ao evento, pois a sonoridade maciça do órgão é de deixar qualquer arrepiado.
      O repertório quase sem nenhuma novidade teve canções marianas tradicionais do Círio de Nazaré, ária de ópera de caráter lírico como a Casta Diva da Norma belliniana e Alcir Guimarães cantando uma canção de sua autoria em homenagem à Virgem de Nazaré. Na parte musical o concerto ficou no regular considerando-se muitos andamentos corridos e afinações não muito precisas que os músicos devem corrigir para qualificar melhor suas interpretações e assim obterem uma nota 10 para esse que já é o principal concerto da mais importante festa religiosa do Brasil e uma das principais do planeta.

Vídeos:

video


video


video


video


video


video


video






quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Charles Schlueter e Orquestra Jovem Vale Música

      Na noite de 20 de setembro de 2012 a Orquestra Jovem Vale Música recebeu o trompetista estadunidense Charles Schlueter para mais um concerto da temporada 2012 da Fundação Amazônica de Música. Tocaram Vivaldi, Joseph Haydn e Brahms num programa muito bem organizado, três compositores de períodos distintos e historicamente sucessivos. A grande estrela da noite foi a Sinfonia nº. 1 de Johannes Brahms. 


Programa:

Antonio Vivaldi (1678-1741)

Concerto para 4 violinos em B menor

I - Allegro

II - Largo, Larghetto, Adagio, Largo

III - Allegro

Vídeos:

Vivaldi - Concerto para 4 violinos em B menor

video

Brahms - Sinfonia nº. 1 em C menor, Op. 68

video