Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Jairo Chaves: Aniversário da Academia da Berliner Philharmoniker

Imagem
O grande violista paraense Jairo Chaves enviou-me esta mensagem que pode ser lida abaixo sobre sua participação no aniversário comemorativo das quatro décadas de atividades da Academia Musical da Filarmônica de Berlim criada pelo regente austríaco e conterrâneo de Mozart, Herbert von Karajan. Para Jairo que foi um dos músicos integrantes da extinta Orquestra de Câmara do Pará e há anos derrama o seu talento no Paraná (já que o Pará o deixou escapar com a tantos outros) o meu mais sincero abraço e congratulação por mais esta conquista importantíssima em sua carreira. Viva o músico erudito paraense!
"O músico Paraense Jairo Chaves, atualmente membro da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina e da Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” foi convidado para participar do Concerto Comemorativo pelos 40 anos da Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim, fundada pelo legendário Maestro Herbert von Karajan. O concerto, que contará com a presença de atuais e anti…

José Maurício Nunes Garcia: Esboceto biográfico

O texto a seguir foi extraído da publicação da Missa de réquiem do padre José Maurício e escrito pelo visconde de Taunay. A publicação foi realizada pela Bevilacqua no Rio de Janeiro e São Paulo em 1897.  O texto original teve sua escrita adaptadas aos novos padrões da escrita portuguesa atual feita por mim mesmo.
     A 22 de setembro, dia consagrado pela Igreja a S. Maurício, nasceu em 1767, nesta cidade do Rio de Janeiro, de onde nunca deveria sair, José Maurício Nunes Garcia, fruto único do legítimo consórcio de Apolinário Nunes Garcia, natural da ilha do Governador, e de Victoria Maria da Cruz, do bispado de Marianna (Minas Gerais), ambos de cor, esta filha ou neta de uma negra da Costa d'África (Guiné).     Na idade de 6 anos, em 1773, teve o infortúnio de perder o pai; mas ficou-lhe para amparo fecundo e poderoso o amor de sua mãe  em extremo laboriosa e inteligente, auxiliada por uma irmã mais velha, cujo nome infelizmente se perdeu, e talvez não mais se possa vir sa…

Hänsel und Gretel (João e Maria) no Teatro da Paz

Imagem
O XI Festival de Ópera do Teatro da Paz apresentou nas noites de 1, 3 e 4 de novembro de 2012 a ópera Hänsel und Gretel do alemão Engelbert Humperdinck (1854-1921) sendo assim a segunda ópera apresentada no festival, pois foi antecedida da Cavalleria Rusticana de Mascagni. Com o título João e Maria foi anunciada e assim vendida devido o conto dos irmãos Grimm ter recebido este título no Brasil. Como se trata de uma ópera baseada em um conto de fadas, também é bastante comum direcioná-la para o público infantil; o que, de fato, acontece em todo o planeta, e Belém do Grão-Pará não foi diferente. Jamil Maluf deu o ponta-pé inicial para essa produção cantada em português (com excelente resultado) em 2002 com a Orquestra Experimental de Repertório. Com direção cênica de Flávio de Souza e cenários (belíssimos) e figurinos (encantadores) de Fernando Anhê a montagem virou um cult conseguindo manter-se por seis temporadas apresentadas no Teatro Municipal de São Paulo, no Municipal do Rio …

Cavalleria Rusticana no Teatro da Paz

Na noite de 17 de outubro de 2012 teve início o 11º Festival de Ópera do Teatro da Paz com a 1ª de 3 récitas da ópera de Leoncavallo que eclipsou todas as outras desse compositor italiano.
     Segundo Gilberto Chaves no programa do festival, essa ópera foi um dos espetáculos mais apresentados no Teatro da Paz na virada do século XIX para o XX "queridos da platéia paraense à época, que, decerto, nossos bisavós tiveram a oportunidade de aproveitar". Portanto, um retorno histórico da partitura verista à cena do da Paz.
     A noite teve vários altos e baixos. O primeiro a saltar aos olhos de quem conhece a ópera foi o cenário, bastante simples e muito inadequado para a ópera. Uma pequena escadaria semicircular encimada por colunas e só. Uma visão cênica bem mais apropriada para uma encenação de Salomé. A vila da Sicília onde se passa a estória da ópera nem de longe foi visualizada. Quando o coro entrou com suas vestes novecentista mais pareceu que dois tempos históricos…