Hänsel und Gretel (João e Maria) no Teatro da Paz

    O XI Festival de Ópera do Teatro da Paz apresentou nas noites de 1, 3 e 4 de novembro de 2012 a ópera Hänsel und Gretel do alemão Engelbert Humperdinck (1854-1921) sendo assim a segunda ópera apresentada no festival, pois foi antecedida da Cavalleria Rusticana de Mascagni. Com o título João e Maria foi anunciada e assim vendida devido o conto dos irmãos Grimm ter recebido este título no Brasil. Como se trata de uma ópera baseada em um conto de fadas, também é bastante comum direcioná-la para o público infantil; o que, de fato, acontece em todo o planeta, e Belém do Grão-Pará não foi diferente. Jamil Maluf deu o ponta-pé inicial para essa produção cantada em português (com excelente resultado) em 2002 com a Orquestra Experimental de Repertório. Com direção cênica de Flávio de Souza e cenários (belíssimos) e figurinos (encantadores) de Fernando Anhê a montagem virou um cult conseguindo manter-se por seis temporadas apresentadas no Teatro Municipal de São Paulo, no Municipal do Rio de Janeiro e no Festival Amazonas de Ópera. Neste ano alcançou a capital paraense. Para quem já conhece a música de Humperdinck não há nada a acrescentar. Para os que ainda não a conhecem torna-se obrigatória a sua audição, tão maravilhosa e agradável e a partitura. 
   O elenco que se apresentou no Teatro da Paz foi um dos melhores elencos da história deste festival. Todas as vozes bem treinadas e devidamente encaixadas em suas personagens. A dupla de protagonistas não deixou a peteca cair um momento sequer. Luciana Tavares e Aliane Sousa, mesmo com participações pequenas de suas personagens, marcaram presença. A entrada de Luciana Tavares ficou marcada na minha mente substituindo a versão original alemã que eu já tinha gravada na memória. Em suma: uma grande montagem que não deve ser esquecida como as anteriores e merece um obrigatório bis nos próximos festivais.


Vídeos:

Início do III ato


Agradecimentos:





Fotos:
















Todas as fotos por Riccardo Rimas D'Ávila




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense