quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Duo Palheta ao piano


     O duo camerístico formado pelo casal Clenice Ortigara e Jairo Wilkens, que apesar do nome é paraense de Vigia, apresentou-se na noite de 6 de dezembro de 2013 na Sala Augusto Meira Filho sob patrocínio da Fundação Amazônica de Música para uma platéia incrivelmente menguada como nunca antes havia visto nessa sala de concertos. Perderam os que não foram e não acompanharam ao vivo a grande performance desses dois grandes músicos, que ao longo da década de 2000 vem apurando suas interpretações musicais e a sintonia fina entre seus instrumentos. Com um repertório, na maioria, de obras escritas diretamente para essa formação instrumental o duo exibiu o seu apuro técnico, a qualidade sonora e a entrega às interpretações; técnicas sim, mas não dotadas de sentimentos, o que é fundamental para qualquer interpretação musical. 
     Conheci Jairo na época do Conservatório Carlos Gomes, quando ele era bolsista de clarinete e praticamente "morava no conservatório". Depois ele foi para Curitiba estudando lá por anos. E segundo alguns colegas nossos de lá estudava "duzentas horas por dia". Tanta dedicação aos estudos transformaram-no em um clarinetista de apurada técnica, capaz de enfrentar alguns "arranca rabos" virtuosísticos para seu instrumento. Mas sua paixão ao tocar clarinete é evidente e isso o torna um clarinetista que usa a técnica para dar vazão aos seus sentimentos e não somente tocar perfeitamente notas musicais, descampando assim para uma interpretação mais sentida do que pensada. 
        Jairo também tem contribuido com aulas de clarinete para a Fundação Amazônica de Música, ajudando a formar uma nova geração de clarinetistas paraenses nesse instrumento que, nos últimos anos, tem se destacado entre os instrumentos de sopro em Belém. 


Jairo entre amigos clarinetistas


Informações do programa:
"DUO PALHETA AO PIANO
Criado em 2000, o Duo tem se apresentado em importantes salas de concerto no Brasil, tais como o Teatro Amazonas, em Manaus; a Sala Cecília Meireles, o Museu da República, a Igreja da Candelária, e a UNI RIO, no Rio de Janeiro; e a Capela Santa Maria e Teatro Positivo - Pequeno Auditório, em Curitiba. Nos Estados Unidos, onde residiu entre 2006 e 2008, o Duo se apresentou na Rogers Whitmore Recital Hall (Universidade de Missouri), Boone Historical Society, Ethical Society of St. Louis e UMKC - Conservatory of Music. E em recitais como artistas convidado nas convenções "ClarinetFest 2008" e "ClarinetFest 2010" promovido pela International Clarinet Association.
O Duo recebeu prêmios em concursos, destacando o da Academia Nacional de Música, no Rio de Janeiro, em 2001 e 2004 e o "Artist Presentation Society Audition", em 2008, nos Estados Unidos.
Compositores como Harry Crowl e Anthony Hernandez dedicaram obras ao Duo.
Em 2013 o Duo lançou seu primeiro CD, tendo como repertório obras de compositores brasileiros sendo este o primeiro registro fonográfico de todas as obras. Clenice Ortigara atua como pianista junto ao Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, da Fundação Cultural de Curitiba e é professora de Música de Câmara na Escola de Música e Belas Artes do Paraná e possui mestrado em Piano Performance, Música de Câmara e Ópera na University of  Missouri, nos Estados Unidos.
Jairo Wilkens é, atualmente, solista especial da Orquestra Sinfõnica Municipal de Campinas. É natural de Vigia (Pará) e estudou de 1994 a 1998 no Conservatório Carlos Gomes, em Belém, Pará. Teve como professores Oleg Andryeyev (Rússia), Paul Garritson (University of Missauri, Maurita Murphy Mead (University of lawa)). Maurício Carneiro, André Ehrlich, Luis Afonso Montanha e Sérgio Burgani. Bacharel em Clarineta pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná."


Vídeos:

Schumann (1810-1856) Phantasiestücke, Op. 73

I - Zart und mit Ausdruck  II - Lebhaft, leicht   III - Rasch und mit Freuer

video

Poulenc (1899-1963) Sonata

I - Allegro tristamente   II - Romanza   III - Alegro con fuoco

video

Pitombeira - The Magic Square, Op. 34

video

Martinú (1890-1959) Sonatina

I - Moderato - Allegro   II - Andante   III - Poco allegro

video

Crowl (1958-) 25 esboços para clarinete e piano (Obra dedicada ao Duo Palheta ao Piano)

video

Marlos Nobre (1939-) Desafio XI Op. 31 nº 11a

video

domingo, 24 de novembro de 2013

XV VIRTUOSI: Igor Lovchinsky

Informações do Programa:
"Aclamado pela revista Gramophone como uma "estrela do futuro" e pela revista Piano pela "elegância e beleza arrebatadora" de sua performance, Igor Lovchinsky tem se apresentado no Kennedy Center, Carnegie Hall, The Bushnell Center, Teatro Eastman, e Teatro Ohio. Internacionalmente, apresentou-se em recitais na Sala da Filarmônica Nacional de Varsóvia, na embaixada americana em Pequim, e no Rosza Centre, Calgary.


Com um repertório que vai da Renascença até o Século XXI, Igor Lovchinsky é um artista multifacetado cujos programas inovadores - muitas vezes combinando o repertório padrão, com jazz e música popular - refletem seus diversos interesses musicais. Normalmente, Lovchinsky fala para a platéia em seus recitais, envolvendo tanto o ouvinte experiente e como o leigo. A imprensa de Southampton descreveu seus comentários como "inteligentes, informativos e não técnicos, acrescentando imensamente para a compreensão do não-profissional."

Um expoente ávido de novas músicas, Lovchinsky tem apresentado obras de Norman Dello Joio, Rodion Schedrin, Schmidt Heather, Dorman Avner, Kapustin Nikolai, e Wild Earl. Depois de ouvir seus Études sobre temas de Gershwin na execução de Lovchinsky, o compositor Wild imediatamente se ofereceu para produzir o disco de estréia do jovem pianista no selo Ivory Classics. Além do set de estudos de Earl Wild, a gravação apresenta também música de Chopin e Scriabin. Nesta temporada, o Sr. Lovchinsky participou da première em  Boston da obra de Olivier Messiaen Catalogue d’Oiseaux no New England Conservatory, Jordan Hall, comemorando o 100º aniversário do compositor

Como solista, o pianist Igor Lovchinsky se apresentou com a Columbus Orchestra (OH),  "Live Music Project" Ensemble (CT), e da Florida International University Symphony Orchestra. Além disso, sua execução do primeiro concerto de Chopin com a Orquestra de Câmara Virtuosi de Connecticut foi transmitida pela rádio WQXR de Nova York, e foi apresentada como trilha sonora do filme independente " Romance Larghetto " do diretor Pablo Goldbarg.

Nascido em Kazan, na Rússia, em 1984, Igor Lovchinsky começou a tocar piano aos dois anos de idade. Rapidamente mostrou extraordinária promessa, não só como pianista, mas como compositor e improvisador e aos quatro anos de idade já tocava recitais inteiros para seus amigos e familiares. Em 1989, ele entrou na Escola de Música Kazan, especial para as crianças sobredotadas, indo em seguida para os Estados Unidos, recebendo os primeiros prêmios no Concurso de Piano Internacional Eastman e do Concurso Nacional de Piano Chopin da Fundação Kosciuszko.
Lovchinsky possui um grau de bacharel pela Juilliard School e é agora participa do programa de pós-graduação no New England Conservatory, Boston. Seus professores incluem Nina Polonsky, Steven Glaser, Jerome Lowenthal, e Patrícia Zander."

Vídeos:

Chopin - Noturno Op. 9 nº. 2

video

Chopin: Balada em F menor, Op. 52

video

Chopin: Noturno em C # menor, Op. Posth.

video

Prokofiev: Sonata para piano nº.7 - 1º Allegro agitato

video

Gershwin: Rhapsody in Blue

video

Gershwin: The Man I Love e I got Rhytm

video





sábado, 7 de setembro de 2013

Orquestra de Cordas Vale Música: Concerto com Leon Keuffer

     Sob coordenação do Professor Ronaldo Sarmanho e com direção artística dele e do Professor Paulo Keuffer ocorreu na noite de 4 de setembro de 2013 na Sala Augusto Meira Filho do Arte Doce Hall em Belém do Grão-Pará um concerto da Orquestra de Violinos Vale Música, mas um braço formado dentro do Projeto Vale Música posto em prática pela Fundação Amazônica de Música com patrocínio da Fundação Vale, que há anos vem dando um abraço forte na formação de novos instrumentistas eruditos paraenses  e contribuindo de forma muito significativa para a manutenção da arte musical erudita na capital paraense.
     Pois bem, os adolescentes que integram essa orquestra de violinos são todos alunos da F.A.M e também integrantes da Orquestra Jovem Vale Música, essa regida por Miguel Campos Neto. São músicos em formação desde tenra idade e já em um nível semi-profissional que muito nos orgulha e nos deixa esperançosos do futuro brilhante que eles poderão dar à música de concerto na capital paraense se forem devidamente encaminhados na profissão de músicos eruditos profissionais. Sonhar com uma futura orquestra filarmônica na capital paraense não é mais um sonho distante, aliás é um sonho passível de ser realidade próxima. Basta a vontade de fazer isso acontecer da maneira certa e com as pessoas certas a frente da empreitada.
   Com essa orquestra esses meninos dão mais um grande passo no amadurecimento de sua formação musical e profissionalização. Agora, faz-se necessário avivar um pensamento muito ausente no meio musical erudito paraense, ou seja, "músico paraense bom deve ir para fora do Pará". Discordo. Devemos lutar para manter os nossos bons músicos aqui em casa, pois se todos se evadirem nós ficaremos somente com os mais fraquinhos; consequentemente um enfraquecimento da prática musical erudita na nossa cidade enfraquecerá em igual proporção. Devemos deixar sair somente os bons que indubitavelmente tem que sair; como os vitoriosos de concursos nacionais e internacionais, se caso a vitória lhes abrir uma carreira no exterior. Mas só si abrir. Essa cultura da exportação dos bons músicos eruditos paraenses para mim deve acabar, pois se todos os bons saem ficam somente os ruins. É isso que vocês querem? Certamente não.
      Com participação especial do violinista paraense Leon Keuffer, atualmente estudando na Inglaterra, os vídeos abaixo demonstram o amadurecimento que os violinistas da F.A.M vem alcançando nos últimos anos. O fato do concerto ter sua integral executada de cor já diz muito dos esforços que os professores e esses alunos do projeto vem empenhando ultimamente. Mas foi uma pena a quantidade exígua de pessoas na platéia. Um momento desses era para a sala estar lotada, mas sabe lá por que o público não compareceu em massa. Os que lá estiveram ganharam um bom concerto de uma orquestra de alunos com alta musicalidade, memória prodigiosa e um som já bastante apurado para estudantes. 
   O acompanhamento pianístico foi gentileza da sobrinha-neta do grande escritor paraense Antônio Tavernard, Renata Tarvernard, companheira de Ronaldo Sarmanho em duo camerístico chamado Duo Deno. 
      Termino com um parabéns especial para Leon Keuffer que ultimamente vem se destacando em seus estudos de violino na Inglaterra e recentemente recebeu uma bolsa integral para continuar seus estudos musicais sem as pertubações financeiras que impedem muitos de estudarem música, sobretudo, num país cara como o reino de Isabel II. Votos de futuras vitórias para Leon.



Programa:

O Monastério, do filme "O Violino Vermelho".......................................John Corigliano (n. 1938)

Garota de Ipanema, arr. Sergei Firsanov................................................Tom Jobim (1927-1994)

Brasileirinho, arr. Serguei Firsanov.........................................................W. Azevedo (1923-1980)

Libertango.............................................................................................Astor Piazzolla (1921-1992)

Capricho Op. 1 nº. 24, arr. Serguei Firsanov..........................................N. Paganini (1782-1840)

Intervalo

Concerto Op. 8, nº. 1 "A Primavera"......................................................A. Vivaldi (1678-1741)
adapt. Agostinho Fonseca Jr. e Ronaldo Sarmanho                                 Allegro - Largo - Allegro Pastorale

Concerto Op. 8 nº. 2 "O Verão".............................................................A. Vivaldi (1678-1741)
adapt. Agostinho Fonseca Jr. e Ronaldo Sarmanho                              Allegro non molto - Adagio - Presto

Concerto Op. 8 nº. 4 "O Inverno"............................................................A. Vivaldi (1678-1741)
adapt. Agostinho Fonseca Jr. e Ronaldo Sarmanho                               Allegro non molto - Largo - Presto

Boi Bumbá, arr. Serguei Firsanov.............................................................W. Henrique (1905-1995)

Tico-Tico no Fubá....................................................................................Z. de Abreu (1880-1935)

Bis:

1. Piazzolla: Oblivion

2. Haendel: Passacaglia

                                 

Vídeos:

John Corigliano - O Monastério


video

Tom Jobim - Garota de Ipanema

video

Wilson de Azevedo - Brasileirinho

video

Astor Piazzolla - Libertango

video

Nicolo Paganini - Capricho nº. 24 Op. 1

video

Antonio Vivaldi - A Primavera

video

Antonio Vivaldi - O Verão

video

Anotnio Vivaldi: O Outono

video






domingo, 25 de agosto de 2013

Orquestra Jovem Vale Música: Homenagem ao maestro Paulino Chaves



Videos:

Paulino Chaves: Prelúdio e Fuga

video

Camille Saint-Saëns: Concerto para violoncelo e orquestra em nº. 1 em A menor, Op. 33

Allegro non troppo - Animato - Allegro molto - Tempo I (pause)
Allegretto con moto - (cadenza) - Tempo I - Un peu moins vite
Molto allegro

Solista: Márcio Carneiro

video

video





Pyotr Ilych Tchaikovsky (1849-1893)

Variações sobre um tema rococó Op. 33

video

Informações do programa:

" 
Miguel Campos Neto - Maestro
Após sua estreia na Ópera Salome em Novembro de 2012, a crítica especializada considerou Campos Neto um maestro que "dá ritmo teatral e fluência ao espetáculo e sabe recriar a linguagem musical específica dos personagens principais". (João Luiz Sampaio, ESTADÃO, SP.) A revista CONCERTO, principal periódico da música erudita e ópera no Brasil disse que "Campos Neto soube conduzir o espetáculo com propriedade e sempre atento ao discurso dramático" (Nelson Rubens Kunze). Já Sergio Casoy do site movimento.com apontou que o maestro, "muito concentrado e seguro, não permitiu sequer uma vez que a massa orquestral ocultasse as vozes".
Atualmente Regente Titular da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, do Festival de Ópera do Theatro da Paz, da Orquestra Jovem Vale Música, e da Orquestra Sinfônica Altino Pimenta (UFPA), Campos Neto também atuou cinco anos como Diretor Artístico e Regente Titular da Chelsea Symphony de Nova York e como regente assistente do Maestro Luiz Fernando Malheiro na Amazonas Filarmônica e no Festival Amazonas de Ópera (Manaus). Como convidado ele já regeu a Orquestra Sinfônica de Puerto Rico, The Mannes Orchestra, os Solistas de Câmara da Universidade de Missouri (EUA), e a Orquestra de Câmara do Amazonas.
Durante turnês nacionais ele já se apresentou em alguns dos mais importantes teatros do Brasil: Sala Leopoldo Miguez e Teatro Municipal (RJ), Teatro Nacional Claudio Santoro (Brasília), Palácio das Artes (Belo Horizonte), Teatro Ibirapuera (SP) Teatro Santa Izabel (Recife), Teatro Arthur Azevedo (São Luiz) e Teatro José de Alencar (Fortaleza). Trabalhou lada a lado em ensaios com o compositor Roger Waters (ex-membro da Banda Pink Floyd) em sua ópera "Ça Ira" e regeu performances encenadas da mesma no famoso Festival Amazonas de Ópera. Também colaborou com o compositor Stephen Schwartz (3 Oscars de melhor canção) nos detalhes finais da sua primeira ópera, regendo a sua pré-estreia em Nova York com solistas da New York City Opera.
Miguel Campos Neto possui diplomas de Performance em violino (Bacharelado e Mestrado) e em Regência Orquestral (Mestrado), obtido na Mannes College of Music de Nova York. Seus mentores foram David Hayes, Edward Dolbashian, e Joseph Colaneri (regência operística). Ele já regeu concertos com grandes solistas como o pianista Nelson Freire, Antonio Meneses (Cello), Robert Bonfiglio (Harmônica) e Emmanuelle Baldini, violino.


Márcio Carneiro - Cello

          Nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais aos seis anos. Depois de um primeiro prêmio que lhe foi atribuído pela Associação das Escolas de Música do Brasil, Marcio Carneiro foi para a Europa prosseguir estudos de aperfeiçoamento com André Navarra.
Em 1977 obteve, com a mais alta distinção o diploma de solista da Nordwestdeutsche Musikakademie (Musikhorchschule Detmold) onde dois anos mais tarde foi nomeado por concurso professor catedrático. Atualmente concentra sua atividade pedagógica no conservatório superior de Lausanne-Sion na Suiça.
Como solista, Márcio Carneiro apresenta-se com numerosas orquestras e em recitais por toda a Europa, Japão, Coréia e nas Américas. A crítica refere-se com particular relevo à beleza da sonoridade, perfeição técnica e à autenticidade do seu estilo.
Recebeu o Diploma de Honra da Academia Chiggiana de Siena, e foi premiado no Concurso Tschaikowsky de Moscou.
Márcio Carneiro é artista participante em Festivais como Florença, Arezzo, Sion, Flaine, Óbidos, Estoril e Bariloche além de “Master Classes” em Santiago (Chile), Austin (Texas), Seul (Coréia), Dublin (Irlanda), Courchevel (França), e San Francisco (Califórnia). Em Portugal é convidado pela “Metropolitana” e pelo conservatório de Carnide (Lisboa), como também em Aveiro, Porto, Óbidos e Sines. No Brasil “Masterclasses regulares na Unirio” (Rio de Janeiro), Fundação de Educação Artística (Belo Horizonte) Universidade de S. João del Rei e Fundação Amazônica de Musica (Belém).

ORQUESTRA JOVEM VALE MÚSICA- OJVM
A Fundação Amazônica de Música, juntamente com a Fundação Vale, vem desenvolvendo desde 2004 o Projeto VALE MÚSICA, voltado para a educação musical de crianças e adolescentes da rede pública de ensino. Integrando o projeto, a Orquestra Jovem VALE MÚSICA, que foi criada em janeiro de 2010, tem em sua formação 65 alunos, com idade entre 10 e 21 anos. Seu Regente é o Maestro Miguel Campos Neto, e seus regentes assistentes são os professores Agostinho Jr., Benedito Jr., Marcus Guedes e Paulo Keuffer.
O repertório da Orquestra inclui peças eruditas e populares, dando ênfase ao caráter didático musical. Os alunos que integram a Orquestra Jovem VALE MÚSICA tem larga experiência em apresentações musicais, em diversos eventos culturais, onde se destacam a participação na Ópera Infanto-Juvenil "O Viajante das Lendas Amazônicas", apresentada no Pará, em Belém (Theatro da Paz) e no Ginásio Poliesportivo de Marabá, assim como no Palácio das Artes, em Belo Horizonte-MG, e a Ópera de Rossini, "Cambialle de Matrimonio", parte integrante do Festival de Internacional de Ópera da Amazônia de 2009.
Em março de 2010, apresentou-se sob a regência do maestro sul-coreano Jooyong Ahn, tendo como solista o trompetista norte-americano David Spencer, convidados do Projeto Vale Música-Belém e sob o patrocínio da Universidade do Memphis (USA). Em maio do mesmo ano, a OJVM, como integrante do Projeto da Ópera "O Viajante das Lendas Amazônicas", se apresentou no Teatro Nacional de Brasília, e na reabertura do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Em junho de 2010 apresentou-se com o renomado violoncelista Antônio Meneses, em Belém-PA, e novamente no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde interpretou peças de Beethoven e Tchaikovsky.
Logo depois, em julho, apresentou-se sob a regência do maestro alemão Walter Michael Vollhardt, convidado pelo Projeto Vale Música e sob o patrocínio do Instituto Goethe e da Casa de Estudos Germânicos da UFPa, que realizou um trabalho intensivo com seus integrantes.
Desde setembro de 2010, a OJVM participa do Projeto SONS DA AMAZÔNIA, que tem por objetivo a realização de concertos didáticos mensais, com entrada franqueada ao público. Através deste projeto a Orquestra Jovem Vale Música já executou diversos concertos em Belém, tendo também se apresentado em Marabá e Santarém, além de ter excursionado em turnê realizada em julho de 2011, nas cidades de S. Paulo (Auditório Ibirapuera), Vinhedo (Teatro Municipal-Festival de Inverno), Rio de Janeiro (Salão Leopoldo Miguez da UFRJ) e Manaus (Teatro Amazonas), onde contou com a participação dos solistas Silviane Belatto (soprano), Leon Keuffer (violino), Gabriella Oliveira (violoncelo) e Marília Caputo (piano).
Em agosto e novembro de 2011 realizou concertos que teve como solistas o violinista italiano Emmanuele Baldini e o pianista Nelson Freire. A OJVM tem desenvolvido o intercâmbio com instrumentistas e regentes internacionais, entre os quais: David Spencer (USA), Jooyong Ahn (Coréia do Sul), Ricardo Cabrera (Colômbia), Brian Lewis (EUA), Yerko Tabilo (Chile), Alexander Shityakov (Rússia), Evgueny Pustovalov (Rússia), entre outros.
Em maio de 2012 realizou concertos nos teatros Arthur Azevedo (São Luís/MA), José de Alencar (Fortaleza/CE) e Teatro de Santa Isabel (Recife/PE).