Orquestra Jovem Vale Música: Homenagem ao maestro Paulino Chaves



Videos:

Paulino Chaves: Prelúdio e Fuga

video

Camille Saint-Saëns: Concerto para violoncelo e orquestra em nº. 1 em A menor, Op. 33

Allegro non troppo - Animato - Allegro molto - Tempo I (pause)
Allegretto con moto - (cadenza) - Tempo I - Un peu moins vite
Molto allegro

Solista: Márcio Carneiro

video

video





Pyotr Ilych Tchaikovsky (1849-1893)

Variações sobre um tema rococó Op. 33

video

Informações do programa:

" 
Miguel Campos Neto - Maestro
Após sua estreia na Ópera Salome em Novembro de 2012, a crítica especializada considerou Campos Neto um maestro que "dá ritmo teatral e fluência ao espetáculo e sabe recriar a linguagem musical específica dos personagens principais". (João Luiz Sampaio, ESTADÃO, SP.) A revista CONCERTO, principal periódico da música erudita e ópera no Brasil disse que "Campos Neto soube conduzir o espetáculo com propriedade e sempre atento ao discurso dramático" (Nelson Rubens Kunze). Já Sergio Casoy do site movimento.com apontou que o maestro, "muito concentrado e seguro, não permitiu sequer uma vez que a massa orquestral ocultasse as vozes".
Atualmente Regente Titular da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, do Festival de Ópera do Theatro da Paz, da Orquestra Jovem Vale Música, e da Orquestra Sinfônica Altino Pimenta (UFPA), Campos Neto também atuou cinco anos como Diretor Artístico e Regente Titular da Chelsea Symphony de Nova York e como regente assistente do Maestro Luiz Fernando Malheiro na Amazonas Filarmônica e no Festival Amazonas de Ópera (Manaus). Como convidado ele já regeu a Orquestra Sinfônica de Puerto Rico, The Mannes Orchestra, os Solistas de Câmara da Universidade de Missouri (EUA), e a Orquestra de Câmara do Amazonas.
Durante turnês nacionais ele já se apresentou em alguns dos mais importantes teatros do Brasil: Sala Leopoldo Miguez e Teatro Municipal (RJ), Teatro Nacional Claudio Santoro (Brasília), Palácio das Artes (Belo Horizonte), Teatro Ibirapuera (SP) Teatro Santa Izabel (Recife), Teatro Arthur Azevedo (São Luiz) e Teatro José de Alencar (Fortaleza). Trabalhou lada a lado em ensaios com o compositor Roger Waters (ex-membro da Banda Pink Floyd) em sua ópera "Ça Ira" e regeu performances encenadas da mesma no famoso Festival Amazonas de Ópera. Também colaborou com o compositor Stephen Schwartz (3 Oscars de melhor canção) nos detalhes finais da sua primeira ópera, regendo a sua pré-estreia em Nova York com solistas da New York City Opera.
Miguel Campos Neto possui diplomas de Performance em violino (Bacharelado e Mestrado) e em Regência Orquestral (Mestrado), obtido na Mannes College of Music de Nova York. Seus mentores foram David Hayes, Edward Dolbashian, e Joseph Colaneri (regência operística). Ele já regeu concertos com grandes solistas como o pianista Nelson Freire, Antonio Meneses (Cello), Robert Bonfiglio (Harmônica) e Emmanuelle Baldini, violino.


Márcio Carneiro - Cello

          Nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais aos seis anos. Depois de um primeiro prêmio que lhe foi atribuído pela Associação das Escolas de Música do Brasil, Marcio Carneiro foi para a Europa prosseguir estudos de aperfeiçoamento com André Navarra.
Em 1977 obteve, com a mais alta distinção o diploma de solista da Nordwestdeutsche Musikakademie (Musikhorchschule Detmold) onde dois anos mais tarde foi nomeado por concurso professor catedrático. Atualmente concentra sua atividade pedagógica no conservatório superior de Lausanne-Sion na Suiça.
Como solista, Márcio Carneiro apresenta-se com numerosas orquestras e em recitais por toda a Europa, Japão, Coréia e nas Américas. A crítica refere-se com particular relevo à beleza da sonoridade, perfeição técnica e à autenticidade do seu estilo.
Recebeu o Diploma de Honra da Academia Chiggiana de Siena, e foi premiado no Concurso Tschaikowsky de Moscou.
Márcio Carneiro é artista participante em Festivais como Florença, Arezzo, Sion, Flaine, Óbidos, Estoril e Bariloche além de “Master Classes” em Santiago (Chile), Austin (Texas), Seul (Coréia), Dublin (Irlanda), Courchevel (França), e San Francisco (Califórnia). Em Portugal é convidado pela “Metropolitana” e pelo conservatório de Carnide (Lisboa), como também em Aveiro, Porto, Óbidos e Sines. No Brasil “Masterclasses regulares na Unirio” (Rio de Janeiro), Fundação de Educação Artística (Belo Horizonte) Universidade de S. João del Rei e Fundação Amazônica de Musica (Belém).

ORQUESTRA JOVEM VALE MÚSICA- OJVM
A Fundação Amazônica de Música, juntamente com a Fundação Vale, vem desenvolvendo desde 2004 o Projeto VALE MÚSICA, voltado para a educação musical de crianças e adolescentes da rede pública de ensino. Integrando o projeto, a Orquestra Jovem VALE MÚSICA, que foi criada em janeiro de 2010, tem em sua formação 65 alunos, com idade entre 10 e 21 anos. Seu Regente é o Maestro Miguel Campos Neto, e seus regentes assistentes são os professores Agostinho Jr., Benedito Jr., Marcus Guedes e Paulo Keuffer.
O repertório da Orquestra inclui peças eruditas e populares, dando ênfase ao caráter didático musical. Os alunos que integram a Orquestra Jovem VALE MÚSICA tem larga experiência em apresentações musicais, em diversos eventos culturais, onde se destacam a participação na Ópera Infanto-Juvenil "O Viajante das Lendas Amazônicas", apresentada no Pará, em Belém (Theatro da Paz) e no Ginásio Poliesportivo de Marabá, assim como no Palácio das Artes, em Belo Horizonte-MG, e a Ópera de Rossini, "Cambialle de Matrimonio", parte integrante do Festival de Internacional de Ópera da Amazônia de 2009.
Em março de 2010, apresentou-se sob a regência do maestro sul-coreano Jooyong Ahn, tendo como solista o trompetista norte-americano David Spencer, convidados do Projeto Vale Música-Belém e sob o patrocínio da Universidade do Memphis (USA). Em maio do mesmo ano, a OJVM, como integrante do Projeto da Ópera "O Viajante das Lendas Amazônicas", se apresentou no Teatro Nacional de Brasília, e na reabertura do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Em junho de 2010 apresentou-se com o renomado violoncelista Antônio Meneses, em Belém-PA, e novamente no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde interpretou peças de Beethoven e Tchaikovsky.
Logo depois, em julho, apresentou-se sob a regência do maestro alemão Walter Michael Vollhardt, convidado pelo Projeto Vale Música e sob o patrocínio do Instituto Goethe e da Casa de Estudos Germânicos da UFPa, que realizou um trabalho intensivo com seus integrantes.
Desde setembro de 2010, a OJVM participa do Projeto SONS DA AMAZÔNIA, que tem por objetivo a realização de concertos didáticos mensais, com entrada franqueada ao público. Através deste projeto a Orquestra Jovem Vale Música já executou diversos concertos em Belém, tendo também se apresentado em Marabá e Santarém, além de ter excursionado em turnê realizada em julho de 2011, nas cidades de S. Paulo (Auditório Ibirapuera), Vinhedo (Teatro Municipal-Festival de Inverno), Rio de Janeiro (Salão Leopoldo Miguez da UFRJ) e Manaus (Teatro Amazonas), onde contou com a participação dos solistas Silviane Belatto (soprano), Leon Keuffer (violino), Gabriella Oliveira (violoncelo) e Marília Caputo (piano).
Em agosto e novembro de 2011 realizou concertos que teve como solistas o violinista italiano Emmanuele Baldini e o pianista Nelson Freire. A OJVM tem desenvolvido o intercâmbio com instrumentistas e regentes internacionais, entre os quais: David Spencer (USA), Jooyong Ahn (Coréia do Sul), Ricardo Cabrera (Colômbia), Brian Lewis (EUA), Yerko Tabilo (Chile), Alexander Shityakov (Rússia), Evgueny Pustovalov (Rússia), entre outros.
Em maio de 2012 realizou concertos nos teatros Arthur Azevedo (São Luís/MA), José de Alencar (Fortaleza/CE) e Teatro de Santa Isabel (Recife/PE).


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense