Música alemã de três séculos: Entre a dança e a contemplação

     No início da noite de domingo, 29 de março de 2014 mais um concerto da Orquestra Jovem Vale Música foi dado na Sala Augusto Meira Filho na capital paraense com a participação do violoncelista e regente alemão Walter-Michael Vollhardt, que pela quarta vez apresenta-se a frente da OJVM.
       O concerto dessa noite teve como temática música alemã de três séculos, mas os alemães não foram os únicos a constar no programa: o brasileiro Dimitri Cervo e o francês Jules Massenet também foram executados em um programa onde a diversidade foi a tônica.
     A orquestra de alunos da Fundação Amazônica de Música não esteve 100% nesse concerto, mas apresentou peças bem preparadas e alguns momentos foram de alta qualidade tratando-se de estudantes e não de profissionais. Mas que eles têm qualidades para se profissionalizarem já escrevi várias vezes aqui.
     Os problemas técnicos dessa noite ficaram com as cordas, sobretudo os primeiros violinos, que em algumas passagens executaram compassos com um som enfraquecido, sem muita firmeza, resultando em um som um pouco débil, mas na maioria das peças o som teve melhor emissão; principalmente nas peças de maior energia na execução como a Dança das Fúrias e a Dança das Tochas. As peças lentas, sobretudo, Cervo e Vollhardt tiveram lindas execuções.
        Uma grata surpresa para mim, foi a execução da Meditação da ópera Thais de Massenet pelo spalla da orquestra, Alexandre Negrão, que tocou bonito mas precisa amadurecer mais essa peça para uma execução "mais sentida".


Vídeos:


Albert Lortzing - Música de balé - Dança dos Tamancos, da ópera O Czar e o Carpinteiro


Max Reger - Romanze e Scherzino para violino e orquestra
Solista: Alexandre Negrão



Max Bruch - Kol Nidrei (Adagio sobre melodias judaicas)





Christoph Willibald Glück - Dança das Fúrias, da ópera Orfeu e Eurídice


Dimitri Cervo - Canauê



Leslie Vollhardt - Fantasia (1ª audição)



Jules Massenet - Meditação, da ópera Thais


Giacomo Meyerbeer - Dança dos Tochas nº. 1 em Si b maior


Comentários

  1. Magnífica interpretação de Canauê! Parabéns a Orquestra Jovem Vale Música e ao maestro Vollhardt! Dimitri Cervo

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense