O QUEBRA-NOZES NO PORTAL DA AMAZÔNIA

      A Prefeitura de Belém promoveu, entre outros eventos, o II Auto de Natal no Portal da Amazônia, área turística da capital paraense na noite de 20 de dezembro de 2014. Em palco montado ao ar livre os moradores da cidade foram convidados a assistir dois espetáculos: o bailado o Quebra-Nozes de Tchaikovsky e Lev Ivanov numa adaptação da Escola de Dança Ballare, dirigida por Ana Maria Crispino e o auto de natal As Pastorinhas pelo grupo de teatro Encenarte, proveniente da cidade paraense de Barcarena. Esse, fechando a noite com um espetáculo visualmente lindo, bem preparado e com atores experientes na cena teatral.
      A apresentação do Quebra-Nozes, pelas próprias palavras de Ana Maria Crispino foi preparada em cima da hora devido ao convite, também em cima da hora, da Fumbel - Fundação Cultural do Município de Belém.
     Esta montagem do bailado de Tchaikovsky/Ivanov foi, como é comum em escolas de dança, adaptada para mostrar dois os segmentos trabalhados na escola. Desde as meninas iniciantes até os alunos mais avançados; até mesmo a participação de algumas professoras já afastadas da sapatilha. Tudo isso para fazer uma grande festa de encerramento do ano letivo de 2014.
    Mas não é porque uma apresentação de fim de ano letivo é para mostrar o que os alunos aprenderam que essa obra-prima de Tchaikovsky, simples e direta na sua construção cênica, musical e coreográfica deva ser esquartejada sem dó e piedade, e digo mais, sem nenhuma noção de teatro pelos profissionais da dança envolvidos no evento.
    O Quebra-Nozes não é bailado complexo de se montar e deve-se ter em mente que ele foi composto para compor programa duplo com a ópera Iolanta também de Tchaikovsky. Portanto, é obra para uma noitada musical. A coesao do enredo, a ligeireza das dança, o sinfonismo da música de Tchaikovsky e a simplicidade da coreografia original de Lev Ivanov não dao espaço para cortes e adaptações no enredo. O Quebra-Nozes é obra simples e direta: deve ser montado do jeito que foi composto e coreografado. Basta isso para garantir-lhe o sucesso com o público que o adora há mais de um século!
      Dessa vez, o esquartejamento foi na supressão da abertura miniatura e de quase toda a cena inicial da Árvore de Natal, cuja música foi executada com uma espécie de preâmbulo sem sentindo ao espetáculo que se seguiria e que iniciou praticamente "em cima" da Marcha, o que tirou o encantamento musical que dá o tom de magia à obra já desde seu início.
    Outra coisa altamente inadequada e irritante para qualquer Tchaikovskyano como eu é ver as danças serem repertidas diversas vezes só para estender o tempo de participação de algumas classes de alunas. Assim tivermos que ouvir repetições da Dança Espanhola e da Dança Chinesa. Só isso tirou o brilho da música de Tchaikovsky; que se tornou repetitiva e acabou com o esquema direto e ligeiro preparado por ele e Ivanov. O Quebra-Nozes é obra para meio programa de concerto, o que lhe dá um carater de economia de meios e rapidez na execução. Duas coisas das mais caras nessa obra e que foram irritantemente ignoradas pelas professoras de dança da Ballare para essa apresentação.


O Quebra-Nozes Ato I


O Quebra-Nozes Ato II






Imagens:

















Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense