Festival de Ópera 2015: A Ceia dos Cardeais

   
A CEIA DOS CARDEAIS: ESTREIA EM BELEM NO XIV FESTIVAL
DE ÓPERA DO THEATRO DA PAZ

     Uma estreia histórica ocorreu durante as noites de 18, 19 e 20 de agosto de 2015 no Museu de Arte Sacra do Pará (Igreja de St. Alexandre), promovido pelo governo paraense através da Secretaria Estadual de Cultura. Trata-se da ópera A Ceia dos Cardeais do paraense multi-mídia Arthur Iberê de Lemos, que entre outras coisas foi também compositor, e pelo que ouvimos, de alto calibre.
     Iberê de Lemos trabalhou anos como funcionário público e também, em anos, treinou sua formação como compositor. Sua obra não é extensa e quase toda a totalidade está esquecida. Somente agora com o resgate feito pelo Festival de Ópera do Theatro da Paz é que sua única ópera finalmente foi estreada em sua cidade natal. Anteriormente, seu Prelúdio para orquestra sinfônica, foi executado no concerto temático voltado somente para compositores paraenses e radicados no Pará. Uma ótima ideia da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz que precisa de várias reprises.
     A ópera é uma adaptação da peça homônima de Júlio Dantas, escritor português. adaptação, pois Iberê de Lemos não usou libretto, trabalhando diretamente sobre a obra de Dantas, cujo texto teve várias palavras cortadas pelo compositor, certamente para adaptá-lo à linguagem operística.
     A ópera nao é longa; tem cerca de 1 hora de duração. Porém sua construção musical é contínua e concisa utilizando a melodia contínua da ópera wagneriana, porém na forma melódica da ópera italiana. O resultado foi uma melodia contínua, fluente e que em muitas passagens sua beleza é abafada pelas vozes dos atores, dominadoras de toda a partitura. 
     O festival em outros anos pecou feio por contratar cantores de porte mediano para papeis de grande envergadura, mas nas três últimas edições o nível vocal dos solistas é o mais alto e nessas récitas de A Ceia dos Cardeais os três intérpretes são cantores de alto calibre vocal.



Imagens:

O musicólogo Mauro Chantal apresentou palestra sobre Iberê de Lemos e A Ceia dos Cardeais antes do início da segunda récita.






Cenas da montagem:





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESSA NEGRA FULÔ: ANÁLISE

FORMA E ESTRUTURA NA ÓPERA: CENA III - ESTRUTURAÇÃO DE UMA ÓPERA

Mozart: Bastião e Bastiana em português e com sotaque paraense