sábado, 8 de setembro de 2018

Alexandre Negrão: quem sabe faz ao vivo



     O jovem, e promissor, violinista paraense Alexandre Negrão, com o apoio da Fundação Amazônica de Música, instituição responsável pela sua formação musical, realizou um recital para captação de alguns recursos financeiros para lhe ajudar em sua estadia nos Estado Unidos da América durante mais um curso de aperfeiçoamento de suas, já avançadas habilidades, como músico erudito. 
     Na saída do concerto estava disponível um Livro de Ouro onde pudemos ajudá-lo nesta empreitada que, certamente, fará o seu talento aumentar e ser lapidado ainda mais. O recital foi ligeiro e enxuto na escolha do repertório e serviu para mostrar o talento deste rapaz pobre que cresceu neste maravilhoso projeto da Fundação Amazônica de Música, isto é, o Projeto Vale Música.
       




Programa:

J. S. BACH (1685-1750)                  Sonata BWV 1001
                                                          Adagio
                                                          Fuga






N. PAGANINI (1782-1840)               Concerto para violino nº. 1, Op. 6
                                                          Allegro maestoso 




S. RACHMANINOFF (1873-1943)    Vocalise
                                                          Lentamente, Molto cantábile




CH. DE BERIOT (1873-1943           Duo Concertante, Op. 57
                                                          Moderato
                                                          Violino II - Samuel Vasco*





(bis) Flausino Vale                            Ao pé da fogueira





Acompanhamento ao piano: Humberto Azulay

* músico convidado



Informações da Divulgação:




Recital de violino com entrada franca

A Fundação Amazônica de Música tem o prazer em convidar a todos para a próxima apresentação de recital do violinista paraense Alexandre Negrão, que acontecerá no dia 08 de agosto (quarta-feira), às 19 horas, com entrada franca, na Sala Augusto Meira Filho-Arte Doce Hall (Av. Magalhães Barata, 1022 - entre 14 de abril e Castelo). O músico irá interpretar peças dos compositores J. S. Bach, N. Paganini e C. Beriot. A entrada é franca. Este evento tem o apoio da Fundação Amazônica de Música.

Programa – Alexandre irá interpretar a sonata solo para violino n°1, de J. S. Bach; o concerto para violino, de N. Paganini; Vocalize, do compositor Rachmaninov e o duo concertante, de C. Beriot. A última música terá como convidado o violinista Samuel Vasco Ribeiro, que é aluno do projeto social Vale Música, ao qual Alexandre também integra desde os sete anos de idade.
Trajetória e sonhos - O sonho de se tornar um grande violinista fez com que Alexandre Negrão, aos 19 anos, estudante concluinte do Ensino Médio da rede pública do Estado e morador da periferia de Belém no bairro da Sacramenta, conseguisse uma bolsa para estudar no Estados Unidos (EUA), a partir do projeto Vale Música. Ele recebeu uma bolsa de estudos na conceituada Nicholls University na Louisiana (EUA), onde passou dois anos estudando e aperfeiçoando o idioma e, agora ele foi selecionado para uma bolsa na School of Music - University of Missouri. Contudo, apesar de já ter garantido sua vaga na universidade de música, ele precisará custear a sua alimentação, moradia e transporte e, por este motivo está fazendo uma campanha para arrecadar incentivos para poder realizar seu sonho. Alexandre planeja ir para os EUA em agosto deste ano.
Alexandre conta que está apto para realizar seu sonho de estudar violino. “Desde os meus 15 anos, a professora já havia me dito que eu poderia ir e essa bolsa estaria disponível para mim, mas o único empecilho era a língua. Após dois anos estudando, passei na prova e agora estou indo estudar fora”, conta. 
O músico explica que começou a tocar no Projeto Vale Música e isso foi fundamental porque lá ele cresceu e aprendeu a tocar violino. Ele entrou no projeto social aos sete anos de idade e se desenvolveu e, já chegou a ser spalla da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz durante cerca de três anos. “Isso devo aos professores, à Orquestra Jovem, que tem dado todo esse repertório para essas crianças. E sempre que eu vier aqui para o Brasil, eu pretendo ajudar as crianças e o projeto e continuar esse trabalho. Se não fosse esse projeto, eu não teria contato com o exterior e o Norte não teria esse nível que os jovens da orquestra têm”.
Fundraising - Filho de uma dona de casa e de um vigilante, Alexandre e sua família não tem condições financeiras para pagar toda a viagem para os Estados Unidos e, como passou um tempo sem trabalhar, apenas estudando, ele espera contar com um “fundraising”, uma espécie de “vaquinha virtual” para a viagem. “Eu vou precisar de uma ajuda para pagar a estadia, despesas com alimentação e outras coisas”. ASchool of Music - University of Missouri custeia somente as aulas que ele irá assistir.
O violinista iniciou uma campanha virtual chamada “É HORA DE TOCAR MAIS LONGE”, no site www.vakinha.com.br e, também recebe doações, na sua conta no Banco Caixa Econômica Federal, agência 3202, operação 001, conta 00020209-0. Alexandre aceita doações de qualquer valor, tanto no fundraising, quanto na sua conta.

O objetivo do concerto de Alexandre é captar recursos por meio de um Livro de Outro, um caderno onde as pessoas podem fazer doações em dinheiro e deixar uma mensagem ou assinatura junto com a contribuição.

XXXII FIMUPA: PROGRAMAÇÃO

O destaque para a edição do ano de 2019 do Festival Internacional de Música do Pará é o fato da titular da Secretaria Executiva de Cultura ...